Províncias

Desenvolvimento sanitário em debate

Isidoro Samutula | Dundo

Administradores municipais, responsáveis do sector da Saúde e parceiros sociais do Governo da província da Lunda Norte analisam os pressupostos técnicos de elaboração dos planos municipais de desenvolvimento sanitário, durante um workshop que decorre na cidade do Dundo.

Ângulo da cidade que acolhe o seminário
Fotografia: Francisco Berbardo

Durante cinco dias, os participantes vão abordar temas ligados à análise da situação actual dos municípios, identificação dos problemas, selecção de prioridades, fixação de objectivos e de estratégias, análises de viabilidade, elaboração do plano municipal de desenvolvimento sanitário (PMDS), entre outros documentos.
No encontro, em que participam também os directores municipais da Saúde e das unidades sanitárias da província, estão a ser esclarecidas as dúvidas em relação ao processo de elaboração dos planos de desenvolvimento sanitário.
Consta igualmente das abordagens o apoio aos municípios na recolha de informação adicional para complementar e melhorar as análises da situação actual e sobretudo melhorar a redacção dos respectivos planos.
Para a Lunda Norte, a formação tem duas fases, tendo em conta o número elevado e a situação geográfica dos municípios da província. Nesta primeira fase de transmissão de conhecimentos de técnicas para a elaboração dos planos municipais de desenvolvimento sanitário foram seleccionados os municípios de Chitato, Cambulo, Lucapa, Cuango e Capenda-Camulemba.
Com este exercício, o Executivo angolano pretende melhorar a prestação de cuidados de saúde com qualidade exigida, sobretudo na promoção, prevenção, tratamento e reabilitação, assim como melhorar a operacionalização do sistema de prestação de cuidados de saúde a nível comunitário.

Redução da mortalidade

Pretende-se ainda com este ciclo de formação melhorar a organização, a gestão e o funcionamento do sistema nacional de saúde, de modo a promover a participação activa dos seus intervenientes na transformação das determinantes sociais da saúde e promover as parcerias nacionais e internacionais, em prol da redução da mortalidade materno infantil e dos programas de combate às grandes endemias.
O vice-governador para o sector técnico e infra-estruturas, Lino dos Santos, que procedeu a abertura do workshop, disse que o plano municipal de desenvolvimento sanitário é uma acção de grande importância, que vai exigir dos intervenientes maior responsabilidade na abordagem dos aspectos sanitários reais das localidades, por ser um instrumento que estabelece uma estratégia sanitária de elaboração comprovada e participativa.
Lino dos Santos considerou a realização do workshop como uma das formas para a colheita de contribuições válidas sobre o perfil sanitário dos municípios, para que se possa desenhar com exactidão a real situação no domínio da saúde a nível da província, de modo a melhorar a prestação dos cuidados de saúde em todas as vertentes.

Tempo

Multimédia