Províncias

Detectados nas instituições dezenas de cursos ilegais

Um total de 89 cursos ilegais foram detectados em várias instituições universitárias do país, no ano académico 2016, pelo Ministério do Ensino Superior, contra os 187 do ano 2015, informou na terça-feira, em Saurimo, o responsável do Instituto Nacional de Avaliação, Acreditação e Reconhecimento dos Estudos do Ensino Superior (INAAREES).

Estudantes estão preocupados com a situação e aguardam pelo desfecho do caso
Fotografia: João Gomes|Edições Novembro

Bravo Dias falava durante um encontro de esclarecimento mantido com a direcção da Escola Superior Politécnico da Lunda Sul, unidade orgânica da Universidade Lueji A'nkonde, e membros do Governo.
O responsável informou que  287 cursos estão em fase final de regularização. Bravo Dias acrescentou que 302 cursos são ministrados nas instituições do Ensino Superior públicas e 463 nas privadas (alguns irregulares). Revelou que 47 por cento das instituições do ensino superior privadas ministravam, no académico 2015,  cursos de graduação ilegais, mas em 2016 a cifra baixou para 27. “Neste momento, temos o controlo de 12 instituições do ensino superior privadas que ministram vários cursos ilegais e estamos a envidar esforços a fim de solucionarmos esta situação”.
Ainda em 2016, prosseguiu Bravo Diase , foram regularizados 108 cursos, contra os 11 do ano académico 2014-2015, e  criadas 55 especialidades de pós-graduação.
Bravo Dias disse que foram  submetidos 3.366 processos para homologação de estudos, emitidas 5.440 declarações de estudo e reconhecidas 2.231.
O Instituto Nacional de Avaliação, Acreditação e Reconhecimento dos Estudos do Ensino Superior tem em análise, para reconhecimento de estudos, 2.637 processos de 42 países.

Tempo

Multimédia