Províncias

Diversas inaugurações marcam aniversário da vila do Dala

Adão Diogo | Dala

A antiga localidade de Ndala Kaitanga, actual sede municipal de Dala, assinala hoje 43 anos, desde que ascendeu à categoria de vila, através da portaria nº 15.672, publicada no Boletim Oficial de 13 de Janeiro de 1968.

Entre as obras a serem inauguradas em prol da efeméride constam escolas e casas
Fotografia: Flávia Massua | Dala

A antiga localidade de Ndala Kaitanga, actual sede municipal de Dala, assinala hoje 43 anos, desde que ascendeu à categoria de vila, através da portaria nº 15.672, publicada no Boletim Oficial de 13 de Janeiro de 1968.
Um clima de expectativa pela comemoração invade os munícipes, que se mostram orgulhosos com os avanços alcançados na implantação de serviços sociais, com desataque para escolas, postos médicos, abastecimento de água, energia, arruamentos e outras iniciativas que concorrem para o resgate da dignidade, volvidos mais de nove anos de paz no país.
O município, que foi ponto de transição, no tempo das migrações bantu, no século XVI, servindo de corredor para os povos idos da localidade de Mussumba, antiga capital da Lunda, carece ainda de várias infra-estruturas sociais básicas para diminuir cada vez mais as dificuldades dos seus habitantes.
Ocupando uma superfície de 14 mil quilómetros quadrados, o município de Dala conta com uma população de cerca de 30 mil habitantes, a sua maioria da etnia Cokwe, distribuídos em 56 aldeias geridas por cinco regedorias. O administrador municipal de Dala, João Tchiculo Martins, disse que as acções das autoridades com vista à melhoria das condições de vida das populações vão continuar em todas as comunas.
Aquele responsável garante que serão empreendidos esforços para que os serviços médicos, escolas, sistemas de abastecimento de água e energia, casas para os administradores e técnicos melhorem nas aldeias e comunas.
O gestor municipal reconheceu algumas dificuldades na execução das empreitadas, mas as autoridades envidam todos os esforços para a materialização dos programas.
A agricultura de subsistência vai ganhar igualmente apoio das autoridades, uma vez que esta tem sido a fonte de produtos alimentares para grande parte da população, principalmente pelo cultivo da mandioca, milho, feijão, batata-doce. A caça, pesca e apicultura são actividades secundárias.

Inaugurações pela data

Várias actividades e empreendimentos sociais estão programados para serem inaugurados durante as festas, entre os quais se destacam três casas geminadas para técnicos e um mercado com áreas para serviços afins.
Dias depois da festa, os munícipes vão ganhar ainda uma escola com 14 salas, laboratórios e sala de informática para o primeiro ciclo, além de creche, parque infantil, este em fase de conclusão. As inaugurações podem ser a 28 de Agosto.Em relação aos ganhos alcançados pela paz efectiva, o administrador salientou a instalação de uma antena que suporta sistemas para a transmissão dos sinais da TPA e da Rádio Nacional, bem como serviços de telefonia móvel.
A localidade criou ainda centros de artes e ofícios para os jovens, construiu casas protocolares para o administrador e para a adjunta deste. As autoridades administrativas reabilitaram e equiparam o hospital municipal, instalaram os sistemas de energia eléctrica e água canalizada, criaram várias lojas e cantinas, assim como se fizeram avanços na contenção de ravinas e reparação parcial de vias no interior.
O administrador municipal ressaltou a necessidade da reabilitação da via Saurimo/Dala/Moxico para facilitar a circulação de pessoas e bens, uma acção que precisa também da intervenção do sector privado.
João Martins disse que o município detém um elevado potencial turístico, justificado por apostas de iniciativa privada em curso na ilha do rio Txiumbwe.
A falta de uma agência bancária compromete o desempenho dos funcionários, que abandonam por largos dias as suas actividades para procederem ao levantamento dos salários na cidade de Saurimo.
Sobre o facto, o administrador diz que a direcção regional leste do BPC garantiu em tempos ter recebido autorização da estrutura central do banco para abrir um balcão na vila, embora não existam ainda dados para a sua concretização.

Tempo

Multimédia