Províncias

Emigrantes ilegais tentam na Lunda Sul obter documentos

O chefe do departamento de Identificação Civil da Delegação Provincial da Justiça e Direitos Humanos na Lunda Sul, Alberto Caleno, denunciou em Saurimo a existência de funcionários do sector que facilitam o registo ilegal de estrangeiros, com fins lucrativos.
Em declarações à Angop, Alberto Caleno disse que mensalmente entre dez a 15 estrangeiros que tentam obter registos nacionais ilegalmente são detidos e encaminhados para o Serviço de Emigração Estrangeira, a fim de serem repatriados.
“O maior problema é a prática de auxílio e a facilitação na obtenção de documentos, por parte de funcionários, fazendo com que muitos ilegais, na maioria já detidos, tentem obter identidade angolana ilegalmente”, realçou. Alberto Caleno ordenou aos funcionários a absterem-se desta prática, combatendo a imigração ilegal.
“Mensalmente são detectados e detidos entre dez a 15 estrangeiros, que vêm ‘tratar’ o Bilhete de Identidade com influência de algum funcionário. A Conservatória agora está rigorosa, sobretudo com os funcionários dos postos municipais, a fim de combatermos esta prática”, garantiu.

Irmão mata gémeo


Um cidadão de 18 anos matou à facada, no bairro Candembe, arredores da cidade de Saurimo, o seu irmão gémeo, depois de um desentendimento.
Munda Paulino, detido ontem pela Polícia Nacional, disse à imprensa que matou o irmão com duas facadas no pescoço, porque “não tinha boa conduta no seio familiar” e que o desentendimento já durava há seis meses.
“Matei o meu irmão gémeo, porque ele não estava a portar-se bem em casa e eu queria proteger os meus pais, porque a atitude dele metia em perigo a vida dos nossos progenitores”, confessou Munda Paulino.

Tempo

Multimédia