Províncias

Emissão de passaportes feita em breve na região

Flávia Massua e Kamuanga Júlia | Saurimo

O Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) na Lunda-Sul aposta na instalação, no município do Muconda, de um posto de emissão de passaportes ordinários, de visto de permanência e de trabalho, para evitar que os cidadãos se desloquem para a cidade de Saurimo, sempre que necessitarem destes serviços.

População do município de Muconda tem que se deslocar a Saurimo para tratar passaportes
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

A informação foi prestada aos jornalistas de diferentes órgãos de comunicação social, pelo director do SME, João Ângelo, no quadro do balanço das actividades desenvolvidas nos primeiros cinco meses do ano em curso.
A medida, de acordo com o subcomissário João Ângelo visa também arrecadar mais dinheiro para os cofres do Estado, através dos serviços que o SME oferece, sobretudo para os cidadãos estrangeiros.
 No período em balanço, o oficial superior do Ministério do Interior (MININT) avançou a emissão de 740 passaportes ordinários e remissão de mais de 300.
Foram também emitidos 13 vistos de serviço, prorrogação de vistos de permanência temporária, revalidação de residência, de trabalho e de turismo, o que rendeu para as contas do Estado  13.730.000,00 kwanzas.
A fraca adesão aos postos instalados nos municípios do Dala e Caolo preocupam a direcção do Serviço de Migração e Estrangeiros, razão pela qual uma equipa trabalha nas respectivas circunscrições, para sensibilizar as pessoas sobre a importância do SME na vida dos cidadãos. João Ângelo precisou que, desde 2017, o Serviço de Migração e Estrangeiros, por estadia e permanência ilegal no país, expulsou 455 estrangeiros de diferentes nacionalidades, com maior realce para os congoleses democráticos.
Actualmente as estatísticas apontam para um controlo na região de 1.240 estrangeiros, entre os quais 787 com vistos de trabalho, 334 portadores de autorização de residência, de recibos de declarações provisórias, de vistos de permanência temporária e 118 com estatuto de refugiados.

Defesa de teses
Um grupo de 14  estudantes de 56 que concluíram a formação superior nos cursos de Psicologia do Trabalho, das Organizações, Economia e Gestão de Recursos Humanos,  ministrados no Instituto Superior Politécnico Lusíada da Lunda-Sul defenderam,  em Saurimo, teses para obter o grau de licenciatura.
O número de finalistas representa a primeira safra de “académicos”que a Lusíada, cinco anos depois da sua implantação na província, apresenta para o mercado de emprego.
Os licenciandos provaram, durante as apresentações, capacidade de domínio dos conteúdos, facto confirmado por José Vieira, presidente do júri, ao reputar de “satisfatória a forma de apresentação” das teses, sustentadas por “critérios científicos exigidos pela instituição”, que prevê a outorga de diplomas em Agosto próximo. Lamenta a falta, na província, de quadros com grau de mestre e doutorado para o acompanhamento adequado aos finalistas. O instituto espera, dentro dos próximos meses, apresentar mais de 50 finalistas do curso de Direito, segundo o director da instituição, José Vieira.

Tempo

Multimédia