Províncias

Escassez de gasolina no mercado provocou o aumento dos preços

Camuanga Júlia | Saurimo

 A escassez de combustível nas bombas de abastecimento da cidade de Saurimo, na província da Lunda-Sul, está a provocar a subida do preço deste bem a nível do mercado paralelo, constatou quinta-feira o Jornal de Angola.

O litro de gasolina está a ser vendido a 300 Kwanzas contra os 60 estipulados
Fotografia: Jornal de Angola

A escassez de combustível nas bombas de abastecimento da cidade de Saurimo, na província da Lunda-Sul, está a provocar a subida do preço deste bem a nível do mercado paralelo, constatou quinta-feira o Jornal de Angola.
Numa ronda efectuada a várias localidades, a equipa de reportagem deste matutino verificou que a procura de combustíveis, com maior incidência para a gasolina, aumentou significativamente, desde que as bombas de abastecimento começaram a registar falhas.
Por esta altura, segundo se constatou, o litro da gasolina está a ser comercializado a 300 kwanzas, no mercado informal, contra os 60 kwanzas estipulados pelo Ministério das Finanças, no ano passado. Antes da escassez que se verifica na cidade de Saurimo, um litro de gasolina era vendido, no mercado paralelo, a 100 kwanzas.
O cidadão João Alberto, revendedor do produto, diz que a gasolina é um negócio que rende, apesar dos riscos que acarreta, pelos atropelos das normas de segurança. Salienta que é desta forma que conseguem colmatar a falta de gasolina na vila de Lucapa, que dista 150 quilómetros de Saurimo, onde adquire o barril de 200 litros por 22 mil kwanzas. O preço aplicado actualmente pelos revendedores, em grande número nas diversas artérias da cidade, segundo eles, é para garantir que se retire dali algum lucro, uma vez que as despesas com o transporte e cauções encarecem o negócio. Fruto disso, muitos citadinos estão a paralisar as viaturas. Rui Txicala é um destes, que foi obrigado a fechar os três carros na garagem, por incapacidade financeira para enfrentar o mercado paralelo. Em Saurimo e Lucapa, a gasolina constitui o combustível mais procurado por automobilistas e motociclistas, que fazem o serviço de táxi, e utentes de geradores de energia.
O concessionário Francisco António sublinhou que os atrasos no fornecimento do produto, a partir do centro de Malange, onde se registam grandes enchentes de camiões que aguardam por abastecimento, é uma das causas para a escassez nas bombas e, consequentemente, para a subida do preço nos mercados paralelos.

Tempo

Multimédia