Províncias

Governo da Lunda-Sul distribui terrenos

Flávia Massua e João Salvo| Saurimo

O Governo Provincial da Lunda-Sul distribuiu, ontem, em Saurimo, 300 lotes preparados para autoconstrução dirigida de casas de carácter provisório, numa extensão de 600 hectares da reserva fundiária da localidade de Nhama.

Governadora Cândida Narciso aperta a mão de uma das beneficiarias
Fotografia: Flavia Massua

O Governo Provincial da Lunda-Sul distribuiu, ontem, em Saurimo, 300 lotes preparados para autoconstrução dirigida de casas de carácter provisório, numa extensão de 600 hectares da reserva fundiária da localidade de Nhama.
A iniciativa, que tem o objectivo de garantir maior segurança às populações que vivem em zonas de risco, “representa uma forma do governo vincar a responsabilidade pela dignificação da vida dos angolanos”, disse a governadora.  Cândida Narciso pediu aos eventuais beneficiários que se dirijam aos serviços administrativos para a obtenção de lotes, aproveitando “as oportunidades de construção em condições seguras no tempo seco”. O administrador municipal de Saurimo declarou que “o programa de distribuição de parcelas de terreno para a autoconstrução dirigida reserva outra área, de 22 hectares”, ao longo da via Saurimo/Luena.Esta reserva, referiu António Xili, “vai beneficiar os cidadãos com talhões de 600 metros quadrados”, ao preço de 60 mil kwanzas.

Notificados casos de sarampo

Pelo menos, 83 casos de sarampo foram notificados, desde Abril, no hospital provincial da Lunda-Sul, disse, ontem, a chefe do banco de urgência daquela unidade sanitária. Alzira Lopes afirmou que as vítimas são crianças não vacinadas e que daquelas que foram assistidas 19 abandonaram o tratamento, o que pode contribuir, referiu, para a contaminação de outras crianças das comunidades onde vivem.
O director do hospital, Isaac Savumbi, disse que foram criadas as condições indispensáveis para atenuar o risco de contágios dentro da unidade clínica e que há equipas de vacinação que realizam campanhas de informação e mobilização nas localidades, já que a sensibilização é fundamental. 

Chuvas desalojam famílias

Cerca de 2.500 famílias ficaram sem casas em consequência das chuvas que caíram sobre a província da Lunda-Sul, entre Outubro do ano passado e princípios deste mês, afirmou o responsável da Comissão Executiva da Protecção Civil, Jacob Alfredo. As chuvas destruíram mais de três mil casas nos municípios de Saurimo, Muconda e Dala, onde o governo provincial tem ajudado os sinistrados, em fase de emergência, com tendas, chapas de zinco, cobertores e bens alimentares. Apesar de já se estar na época seca, previsões do INAMET apontam ainda para quedas de chuvas durante este mês na província, daí que as autoridades voltem a apelar para que as populações evitem construir em zonas consideradas de risco.

Tempo

Multimédia