Províncias

Governo provincial e projecto Catoca realojam comunidades de Muandondji

Flávia Massua | Saurimo

O processo de realojamento de 60 famílias em Saurimo, vítimas de poeira produzida por uma britadeira vizinha dos bairros Caíta e Muandonji arrancou, com a entrega faseada de casas pelo governo local e a Sociedade Mineira de Catoca.

Prosseguem as obras de impacto social no novo bairro da província da Lunda-Sul
Fotografia: Jornal de Angola

O processo de realojamento de 60 famílias em Saurimo, vítimas de poeira produzida por uma britadeira vizinha dos bairros Caíta e Muandonji arrancou, com a entrega faseada de casas pelo governo local e a Sociedade Mineira de Catoca. Os bairros erguidos próximo da antiga área das duas comunidades têm uma escola de seis salas de aulas, espaço desportivo, centro de saúde e uma esquadra policial.
A iniciativa da Sociedade Mineira de Catoca em parceria com o Governo Provincial visa dar melhores condições de vida a 400 pessoas, na sua maioria camponesas, e reduzir o surgimento de doenças. Casas rebocadas, cimentadas e cobertas por chapas de zinco, chafarizes, rede de cabos e gerador de energia ressaltam à vista de quem visita o bairro.
O soba do bairro, Mwata Mwandondji, espera por acções do género noutras localidades. Afirma que a iniciativa conjunta entre o governo e a Sociedade Mineira de Catoca afastou o risco de contaminação das pessoas através da poeira da pedreira. “Os resultados positivos pelas acções do governo e parceiros estão a vista de todos nós”.

Obras na estrada

Depois de concluir mais de 20 quilómetros dos 35 que separam a vila mineira e a cidade de Saurimo, Catoca actua na recuperação efectiva de aproximadamente 15 quilómetros. Além da asfaltagem a empreitada tem trabalhos de sinalização horizontal e montagem de reflectores, para proporcionar conforto e segurança de circulação aos usuários da via.
Noémia Paula 14 anos, pedala firme na sua bicicleta, ocupando a parte da faixa mais próxima à berma, da via asfaltada, durante um passeio nas imediações do bairro onde vive. A reabilitação e ampliação da via incentivam a adolescente a circular com a bicicleta, oferecida pelo pai, por concluir a quarta classe.
Antes a estrada era estreita e com muitos buracos que atrasavam a viagem dos automobilistas. As obras reduziram de 40 minutos para 20 o tempo gasto para cobrir os mais de 35 quilómetros que separam Saurimo de Catoca.
O automobilista Orlando Adolfo considera a asfaltagem da via que frequenta diariamente, ao volante de um autocarro de transporte público, “uma grande valia apenas em 30 quilómetros, do troço que termina na localidade de Luele”.

Tempo

Multimédia