Províncias

Lunda Sul aposta na Hotelaria e Turismo

O sector da Hotelaria e Turismo na Lunda Sul está apostado na expansão da rede de hotéis e ao mesmo tempo adoptar medidas que concorrem para a melhoria da qualidade do serviço prestado por estas unidades, anunciou ontem, em Saurimo, o director provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo.

Panorâmica da cidade de Saurimo onde o sector da Hotelaria e Turismo regista crescimento
Fotografia: Joaquina Munji|Lunda Sul| Edições Novembro

Manuel Segunda  recordou o período em que a província dispunha somente de um hotel,  que em consequência da guerra ficou inoperante,  e  que hoje a realidade é outra, pois a rede hoteleira na província conheceu, durante os 14 anos de paz, um crescimento assinalável, por força dos investimentos públicos e privados, que resultaram no surgimento de unidades do género e de zonas turísticas.
Outro impulso na melhoria do sector, disse Manuel Segunda, tem a ver com  a recente actualização de grande parte da legislação que rege o sector, com o fim de “facilitar a vida” dos operadores do mercado e dos destinatários destes serviços, para modernizar e criar novos postos de trabalho e obter mais receitas para o erário público. A província conta, actualmente, com um hotel, um complexo residencial, 12 pensões, quatro aldeamentos turísticos e duas hospedarias, com um total de 336 quartos e 478 camas.
Os preços praticados nas unidades hoteleiras variam entre dez e 19 mil kwanzas por dia, e a refeição ronda de  2.500,00 a 3.500,00 kwanzas , de acordo com a classificação das unidades, restaurantes ou bar.
Com a entrada em funcionamento destas unidades, disse Manuel Segunda,  duzentos e trinta e sete jovens de ambos os sexos ganharam o primeiro posto de trabalho.
O hotel Galito, que vai ganhar 125 quartos, contra os 70 do passado, vai contar no termo das obras com áreas de lazer, lojas, espaços para agências bancárias, apartamentos, escritórios, parque de estacionamento e área verde. Manuel Segunda disse que, o ­Governo ­Provincial criou um programa designado  Plano Operativo do Turismo que contém vários eixos no domínio da organização, promoção e desenvolvimento do sector da Hotelaria e Turismo na região.
Uma das prioridades do Executivo, traçada no  referido plano, é a construção de uma unidade hoteleira em cada um dos três municípios do interior da Lunda Sul, nomeadamente Cacolo, Dala e Muconda.
No âmbito deste projecto, disse Manuel Segunda, os investidores que estiverem interessados no ramo hoteleiro são encaminhados para os três municípios.
 O objectivo é expandir estes serviços, bem como aproveitar  e rentabilizar os locais turísticos existentes na região.
Para complementar o Plano Operativo do Turismo, acrescentou Manuel Segunda, está na forja um programa de formação para os  funcionários das unidades hoteleiras, 
Manuel Segunda apontou algumas dificuldades, mormente o défice em unidades de restauração, pois os serviços deste sector são feitos nas unidades hoteleiras.
Para inverter o quadro, o director provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo na Lunda Sul apelou aos empresários locais para investirem em unidades de restauração.
Outra preocupação da instituição, nas palavras de Manuel Segunda,  prende-se com a falta de investimentos nos locais turísticos de que a província dispõe.
Para melhorar o quadro, o Governo da Província da Lunda Sul criou mecanismos que visam facilitar os empresários que tencionam investir neste sector, melhorando as vias secundárias e terciárias, para facilitar o acesso aos locais turísticos, como Pelengue Luari, Kassengo, Tchihumbwe, Samussanda e Tamba.

Tempo

Multimédia