Províncias

Mona Quimbundo tem benefícios da nova rede viária da Lunda-Sul

Adão Diogo | Mona Quimbundo

A vila de Mona Quimbundo tem novos equipamentos sociais que diversificam a oferta de serviços à população. A produção de alimentos por parte das famílias camponesas e fazendeiros está a combater a pobreza na comuna da província da Lunda-Sul.

A comuna tem fazendeiros que prevêem produzir este ano toneladas de alimentos e o governo prepara o arranque do comércio rural
Fotografia: Paulo Mulaza

A vila de Mona Quimbundo tem novos equipamentos sociais que diversificam a oferta de serviços à população. A produção de alimentos por parte das famílias camponesas e fazendeiros está a combater a pobreza na comuna da província da Lunda-Sul.
A sua localização estratégica, junto à Estrada Nacional 230, simplificou a circulação. A abundância de rios que cruzam extensas áreas do território, de clima temperado e húmido, propicia várias culturas agrícolas como a mandioca, feijão, ginguba, batata-doce e milho. A agricultura constitui o principal suporte de sobrevivência da população. A comuna tem 65 fazendeiros que prevêem produzir este ano 260 toneladas de alimentos e o governo prepara o arranque do comércio rural.
O administrador da comuna, António Jaime Ifindefinde, está preocupado com a exploração intensiva e desregrada de carvão, para fins de comércio. Tomou as medidas necessárias, mas a situação exige uma fiscalização activa para ninguém comprometer o equilíbrio ambiental.
O ensino foi reforçado com seis salas para fazer face às necessidades dos 6.000 alunos, matriculados neste ano lectivo, da iniciação à oitava classe. As autoridades organizaram também turmas de alfabetização para 80 adultos, na sua maioria mulheres.
Para colmatar a dificuldade de alojamento dos alunos das aldeias distantes, as autoridades investem na construção de um internato com capacidade para 100 camas. O esforço neste sector culminou com a construção e apetrechamento de duas casas geminadas, para mitigar a carência no alojamento dos 20 professores que trabalham na comuna.
Na localidade de Chipamba, a 80 quilómetros de Mona Quimbundo, nasce uma escola, um posto de saúde e a casa para o regedor, no quadro do Programa de Investimentos Públicos que visa o aumento da oferta de bens e serviços para a população.
António Ifindefinde diz que são necessários técnicos agrícolas para acompanhar e dotar aos camponeses de conhecimentos que permitam o aumento das colheitas e a organização das campanhas agrícolas.
As condições criadas pela natureza, aproximação à sede provincial e a sua localização estratégica em termos de acesso, favoreceram a instalação em Mona Quimbundo de duas unidades de descasque de arroz.
No quadro da estratégia da criação de bases sólidas para relançar a agricultura na região, o Governo Provincial investe na construção do futuro centro regional para ensaios e multiplicação de sementes, em Mona Quimbundo. Nos arredores da sede comunal nascem edifícios que estão em fase conclusiva.
A vila conta com dois novos edifícios equipados e inaugurados no decurso do ano passado pela governadora provincial. A administração e a Policia Nacional têm agora instalações condignas.
Com o abastecimento de água e o funcionamento em pleno do centro médico, as apostas deste ano apontam para a implantação de um sistema de energia solar para garantir a iluminação pública. Arrancou recentemente a construção de mais 20 casas sociais.

Mais segurança

A limpeza de áreas circundantes à vila num raio de mil metros, por “equipas de sapadores” das empresas mineiras devolveu segurança à localidade, que integra a lista de “áreas mais minadas” na província da Lunda-Sul.

Tempo

Multimédia