Províncias

Movimento de crianças em análise

Kamuanga Júlia| Saurimo

O movimento de crianças no corredor Leste vai ser melhor controlado, nos próximos tempos, depois da aprovação das estratégias do encontro regional, que decorre, desde quinta-feira, na cidade de Saurimo, entre representantes das direcções provinciais da Assistência e Reinserção Social.

Fotografia: JAImagens

No encontro, promovido pelo Governo Provincial da Lunda Sul, em que participam, além dos anfitriões, responsáveis do Moxico, Malanje e da Lunda Norte, está a ser analisada a situação ligada à contenção de movimentos dos menores.
Além dos directores provinciais da Assistência e Reinserção Social no encontro participam também autoridades tradicionais e religiosas, que buscam melhorar os procedimentos administrativos e policiais a nível da região Leste, para acabar com a movimentação e proliferação desordenada de crianças e adolescentes nas estradas da região.
Os dados apresentados pela directora provincial da Lunda Sul da Assistência e Reinserção Social, Maria Segunda, apontam que, entre 2014 e 2015, o sector registou centenas de casos de crianças, dos dez aos 17 anos, a circularem pelas ruas. Elas eram provenientes dos municípios de Lucapa, Muxinda, Xá Miquelengue e Cafunfo (Lunda Norte). A directora sublinhou que o Programa de Localização e Reunificação Familiar permitiu a reintegração de 512 crianças no seio dos seus familiares, na sua maioria, oriundas das outras três províncias.
Para reduzir casos de crianças na rua, a direcção provincial criou uma sala de aula, dormitório e cozinha, para garantir um acompanhamento eficaz deste grupo.
A governadora da Lunda Sul, Cândida Narciso, defendeu a necessidade de as famílias transmitirem às crianças, desde pequenas, os valores morais e éticos, para que tenham referências, mentes sãs e fortes e possam lidar com as diferentes situações que possam surgir no dia-a-dia.
Cândida Narciso apelou a todos os intervenientes para unirem sinergias para encontrar mecanismos que visem a redução deste mal que continua afectar a sociedade.

Reintegração em Malanje

Em Malanje, a directora provincial da Assistência e Reinserção Social, Isabel Roque, sublinhou que, de Janeiro a Novembro deste ano, a instituição acolheu um total de 40 crianças, 27 das quais foram reintegradas no seio familiar.
Isabel Roque acrescentou que um dos factores principais do fenómeno identificado tem a ver com aspectos físicos e mentais, problemas socioeconómicos das famílias, como a separação dos pais, fuga à paternidade, perda de um dos membros da família e negligência. Isabel Roque apontou que a direcção cumpre uma das etapas do programa de reeducação familiar, para permitir a identificação, garantia do registo civil, advocacia, verificação e acompanhamento, em colaboração com o Instituto Nacional da Criança (INAC), Polícia Nacional, órgãos de comunicação social e igrejas, entre outras associações.

Casos de violência

Na Lunda Norte, o director provincial da Assistência e Reinserção Social, Wilson Palanca, destacou que a província controla 237 menores explorados diariamente por progenitores, desenvolvendo trabalhos nos mercados, fabrico de adobes e venda de produtos diversos nas ruas.
Wilson Palanca realçou que 87 casos de crianças abandonadas foram registados, entre Janeiro e Outubro deste ano, além de 178 de fuga à paternidade, 214 incumprimento de mesada, 3.882 órfãos, 12 casos de violência sexual de menores e sete de crianças acusadas de feitiçaria. Para se reverter o quadro, a  Assistência e Reinserção Social aconselha as famílias a denunciar os prevaricadores.

Tempo

Multimédia