Províncias

Novo hospital nos arredores de Saurimo

João Salvo e Kamuanga Júlia | Saurimo

O Governo provincial da Lunda-Sul está a investir cerca de 34 milhões de dólares na construção de um novo hospital municipal na reserva fundiária do bairro Kandembe, arredores da cidade de Saurimo, com capacidade para internar 120 doentes.

Maquete do novo hospital municipal de Saurimo cujas obras arrancaram quinta-feira
Fotografia: João Salvo| Saurimo

As obras arrancaram quinta-feira, a cargo da empreiteira chinesa SINOHIDRO, no termo de um acto de consignação presidido pela governadora Cândida Narciso.
Segundo a governante, com este esforço de financiamento obtido da China, o Executivo angolano trabalha para o aumento da oferta de serviços, a fim de garantir um atendimento eficaz aos munícipes, tendo em conta o aumento da densidade populacional.
O contrato de execução inscreve um prazo de 18 meses para a SYNOHIDRO apresentar uma infra-estrutura que, além de enfermarias, contemple blocos para albergar o banco de urgência, sala de conferencias, áreas administrativa, serviços gerais e de radiologia, consultas externas, morgue e um parque para estacionamento de mais de 500 viaturas.
Segundo o fiscal da obra, afecto à empresa Horizonte Global, Carlos Delegado, a abertura de caboucos marca a fase embrionária da construção do edifício, que visa aproximar e melhorar a prestação de serviços à população.  Por outro lado, cerca de 100 técnicos, afectos aos postos e centros de saúde da província da Lunda-Sul, aperfeiçoaram conhecimentos sobre gestão hospitalar, num seminário promovido pela Fundação Eduardo dos Santos (FESA).

Melhor atendimento

A melhoria da qualidade de atendimento nas unidades sanitárias é um dos objectivos da formação, que decorre no anfiteatro do Instituto Médio Politécnico (IMP). Estão a ser abordados, entre outros temas, conceitos importantes como “Gestão, Planificação Estratégica, Metas, Formas de Controlo e Importância dos indicadores”.
 Na sessão de abertura, o governador substituto, António Jorge Teixeira, referiu que a actividade permite actualizar conhecimentos por cada um dos participantes, de modo a melhorar os serviços de saúde na província. Reconheceu existirem lacunas no sector e pediu a colaboração dos participantes para superar a situação.
De acordo com a formadora Eliana Napoli, o fortalecimento da gestão hospitalar abre perspectivas animadoras na prestação de um serviço que satisfaça o público. A iniciativa da FESA traduz, na visão do director provincial da Saúde, Costa Maria Samuquinda,  uma “lufada de ar fresco” para os responsáveis inovarem a forma de atendimento.

Tempo

Multimédia