Províncias

Obras sociais dão mais crédito ao governo

Adão Diogo | Nhambaca

O assentamento da primeira pedra para a construção, em seis meses, de uma escola com seis salas, posto médico, casas para o regedor, professor e enfermeiro, marcou a primeira visita efectuada pela governadora provincial da Lunda-Sul à localidade de Nhambaca, situada 90 quilómetros a Sul da sede do município de Dala.

O assentamento da primeira pedra para a construção, em seis meses, de uma escola com seis salas, posto médico, casas para o regedor, professor e enfermeiro, marcou a primeira visita efectuada pela governadora provincial da Lunda-Sul à localidade de Nhambaca, situada 90 quilómetros a Sul da sede do município de Dala. O lançamento das solidificou a confiança num futuro digno no seio dos mais de 2000 habitantes.
 O Governo Provincial da Lunda-Sul pretende, com estes “pacotes de acções”, mitigar dificuldades de acesso aos serviços sociais básicos no seio das comunidades em cinco localidades, para incentivar o processo de unificação de aldeias.
 Acolhida num clima de euforia por centenas de populares, Cândida Narciso destacou o sentido patriótico demonstrado pelos “ filhos desta terra” durante a luta de libertação nacional. A capacidade de liderança demonstrada pelo regedor Augusto Félix Mutunda, “ao manter a coesão no seio das comunidades em momentos difíceis” foi nota de realce, antes de proceder à entrega de duas motorizadas ao soba e ao director da escola.  Nhambaca delimita a Sul o território da província, com o município de Lumege Cameia, do Moxico, através do rio Cassai. As comunidades sobrevivem do cultivo da mandioca, tubérculos e cereais, caça, pesca e apicultura. Esta actividade envolve 300 camponeses distribuídos em três associações e várias famílias. As dificuldades de circulação por falta de estradas comprometem o processo de escoamento dos excedentes das colheitas.
 As autoridades tradicionais de Nhambaca contornaram dificuldades de espaço no domínio da Educação acomodando os mais de 800 alunos matriculados no primeiro nível, em igrejas e outros espaços provisórios.
Apelam à urgência na construção de um posto médico, casas para o regedor, professor e enfermeiro, instalação de sistemas de comunicação, abastecimento de água, regularização de pensões aos antigos combatentes e veteranos da pátria, reposição da ponte sobre o rio Cassai.
A predominância de areia em 70 quilómetros dos mais de 90 que separam a localidade da sede municipal de Dala, exige a utilização de veículos todo-o-terreno e muita prudência.

Tempo

Multimédia