Províncias

Parteiras tradicionais formadas em Saurimo

Kamuanga Júlia | Saurimo

Os partos auxiliados por parteiras tradicionais nas comunidades do município de Saurimo vão ser efectuados com maior profissionalismo e mais garantias às mulheres durante este serviço, afirmou ontem o director provincial da Saúde.

Costa Samuquinda falava durante um curso, de três dias, promovido pela Direcção Provincial da Saúde, em que participam 60 mulheres de Saurimo, visando a atribuição de mais ferramentas às parteiras tradicionais.
A formação visa igualmente incutir novas técnicas que concorram para a redução da mortalidade materno-infantil,  permitir uma abordagem profunda sobre o perfil das parteiras tradicionais nas comunidades e analisar as vantagens do trabalho de parto normal e complicado. Durante o encontro, as parteiras estão a discutir sobre o surgimento de complicações durante e pós parto, higiene, medidas de prevenção individual e colectiva, consulta pré natal, vacinação da grávida, práticas e demonstração do parto, questões relacionados com tabus que afectam a saúde sexual.
Além disso, as participantes, orientadas por quatro formadores, abordam ainda assuntos que têm a ver com a alimentação da mulher grávida, manuseamento de equipamentos e de cuidados com o recém-nascido.
O director Costa Samuquinda pediu para as parteiras aproveitarem ao máximo as lições transmitidas na formação, que está a ser organizada para melhorar a assistência da mulher no parto. A formação vai ajudar a diminuir as complicações obstétricas, maus hábitos e crenças durante a gravidez, aumento do cumprimento do repouso médico e do respeito pelas normas para uma alimentação saudável. O director salientou que as autoridades sanitárias da província estão preocupadas com o aumento dos índices de mortalidade materna, dai chamar a atenção das parteiras tradicionais para contribuírem para a redução de taxas, por representarem um elo de ligação com o sector nas comunidades rurais.
As parteiras têm de acabar com o hábito de ficar com parturientes com complicações, devendo encaminhar as mulheres grávidas para as unidades sanitárias de referência, onde existem meios adequados para garantir partos seguros.
O vice-governador para o sector Político e Social, João Abreu Manassa, considerou que a realização da formação vai facilitar as parteiras apresentarem as suas valências, de modo que a Lunda Sul seja uma província com menos casos de mortes durante o parto.

Tempo

Multimédia