Províncias

Propagação da tuberculose está a diminuir

Camuanga Júlia | Saurimo

O consumo excessivo de álcool, na companhia de amigos, preenchia o quotidiano de Crispim Txicomba, 26 anos, antes de, há dois meses, com tuberculose contraída em 2009, ser internado no pavilhão de infecto-contagioso do Hospital Central de Saurimo.

O consumo excessivo de álcool, na companhia de amigos, preenchia o quotidiano de Crispim Txicomba, 26 anos, antes de, há dois meses, com tuberculose contraída em 2009, ser internado no pavilhão de infecto-contagioso do Hospital Central de Saurimo.
O desejo de regressar a casa para recomeçar a vida ao lado da família domina-o, enquanto aguarda pela alta, mas diz sentir-se bem.
O paciente elogiou o nível de atendimento dos técnicos do estabelecimento clínico que, apesar de alguns constrangimentos, continuam a garantir a assistência com qualidade.
Nesta altura, as autoridades sanitárias esforçam-se para controlar a situação e tirar das estatísticas pessoas como Crispim.
Dados fornecidos pelo chefe de secção do departamento provincial da Saúde Pública revelam que 101 novos casos foram registados entre Janeiro e Março contra os 180 do mesmo período de 2010.
Ao todo, disse Carlos Cahindjia, 40 pacientes recebem assistência em regime de internamento.
A unidade já deu alta, este ano, a dez pessoas, mas registou seis mortes por agravamento da doença em resultado do início tardio do tratamento médico.
Cahindjia salientou haver uma redução de casos de tuberculose por as populações acatarem, cada vez mais, os conselhos sobre a prevenção e o tratamento dados pelas autoridades sanitárias.
Estes progressos no acatamento das normas de prevenção, referiu, são resultado de uma parceria com a Sociedade Mineira de Catoca (SMC) e com a Igreja Evangélica dos Irmãos em Angola, que actuam junto das comunidades, esclarecendo-as para a importância da prevenção de do cumprimento rigoroso do tratamento.

Tempo

Multimédia