Províncias

Soluções em estudo no Leste

Flávia Massua | Saurimo

Um total de 90 técnicos das províncias do Leste do país estão, desde ontem, na cidade do Saurimo, a estudar estratégias para dar respostas eficazes aos problemas relacionados com o saneamento e o abastecimento e distribuição de água, informou a directora regional do Instituto de Formação da Administração Local.

Especialistas estudam na Lunda Sul as melhores estratégias para a higiene do meio
Fotografia: António Soares | Cabinda

Isabel Lemos disse que técnicos do Moxico, Lunda Norte e Lunda Sul participam de um seminário sobre “A Gestão da Água e Saneamento”, numa promoção do Instituto de Formação da Administração Local (IFAL), em parceria com o Fundo de Apoio Social (FAS) e a Organização das Nações Unidas (ONU).
O  seminário faz parte de um conjunto de cinco cursos que iniciaram ontem e se estendem até o final do mês de Março, disse  Isabel Lemo, que acrescentou que os técnicos vão adquirir  conhecimentos e competências adequadas para melhorar a qualidade do consumo e a utilização de meios apropriados para a manutenção da água e do saneamento da vida pública.
Isabel Lemos referiu que a conclusão do primeiro ciclo de formação vai proporcionar  aos técnicos uma capacidade de gestão mais sábia, dinâmica e eficaz, com vista a melhorarem os serviços prestados à população. Com a   prática dos  conhecimentos, Isabel Lemos assegura que existem todas as garantias para a prevenção de doenças motivadas pela falta de qualidade da água e do saneamento.

Água e saneamento

O administrador municipal de Saurimo, Gregório Miasso, disse que a problemática da água e do saneamento básico deve constituir um elemento fundamental para a prevenção de doenças e, consequentemente, de muitas mortes na região. Gregório Miasso acrescentou que a preocupação para a melhoria do saneamento e de outros sectores deve ser de todos e não uma tarefa exclusiva das autoridades. “Só desta forma vamos acabar com as dificuldades que possam surgir no curso normal da oferta destes serviços”. Sobre a situação actual da saúde pública, Gregório Miasso apontou a   febre-amarela como um dos maiores problemas que as comunidades enfrentam. Para ajudar no combate à enfermidade, Gregório Miasso pediu para  se evitar o depósito de lixo em locais inapropriados. Outras medidas apontadas por Gregório Miasso para travar a propagação da doença são o combate aos charcos em zonas próximas de casas, a queima ou enterro do lixo e o uso de mosquiteiros tratados.
Neste primeiro ciclo formativo, os participantes estudam temas ligados à “Gestão e Fiscalização de Mercados e Feiras Municipais”, “Redacção e Elaboração de Documentos Administrativos”, “Gestão Municipal e Energético” e “Gestão de Água e Saneamento Básico”.

Tempo

Multimédia