Províncias

Técnicos de saúde trocam experiências

Flavia Massua

O vice-governador provincial da Lunda-Sul para o sector Político e Social, João Abreu Manaça,  reiterou ontem, em Saurimo, os apelos aos profissionais de saúde no sentido de trabalharem com mais rigor, dedicação, empenho, empatia e brio profissional.

Autoridades apostam na diminuição do índice de mortalidade
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Para traduzirem o sentido de humanismo nas suas áreas de jurisdição e, desta forma, garantirem uma assistência com qualidade à população, sobretudo nos cuidados primários de saúde.
João Abreu Manaça, que falava no termo da cerimónia que marcou a celebração do Dia Nacional do Trabalhador da Saúde, assinalado ontem, recordou o papel do médico e nacionalista angolano Américo Boavida, que “incansavelmente percorria longas distâncias para prestar um serviço de saúde de qualidade, de forma gratuita, à população mais carenciada.
Durante a sessão de encerramento, prestigiada por médicos, enfermeiros, funcionários administrativos do sector e alunos da Escola Técnica de Saúde , o governante prestou homenagem ao primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, por também ter sido um dos pilares desta profissão, cujo reconhecimento em prol da sua participação na estabilidade social dispensa comentários.
João Manaça partilhou com os presentes momentos marcantes entre as duas figuras emblemáticas do país, destacando o seu forte contributo para o alcance da Independência Nacional, que custou sangue e suor aos angolanos, cujo exemplo deve ser seguido e relembrado por todos nós. Para o director do sector na província, Costa Maria Samuquinda, o 25 de Setembro de 1968 tornou-se para os angolanos uma data de reflexão, por marcar o registo da morte, nas chanas do leste, mais propriamente na província do Moxico, de uma das figuras mais importantes da história de Angola, pelos colonos portugueses, o cidadão que em vida se chamou Américo Humberto Boavida (Ngola Kimbanda).

Tempo

Multimédia