Províncias

Violência é um desafio à sociedade

A governadora provincial da Lunda-Sul, Cândida Narciso, afirmou ontem, nesta cidade, que o elevado índice de violência no país constitui um desafio social e são chamadas a intervir todas as forças vivas da nação angolana.

Jornalistas discutem formas de promover a harmonia social e os valores da igualdade do género
Fotografia: Santos Pedro

A governadora provincial da Lunda-Sul, Cândida Narciso, afirmou ontem, nesta cidade, que o elevado índice de violência no país constitui um desafio social e são chamadas a intervir todas as forças vivas da nação angolana.
Cândida Narciso fez esta apreciação na abertura do seminário provincial de jornalistas sobre “A violência na sociedade: informar, prevenir e intervir”, promovido pela direcção provincial da Comunicação Social.
De acordo com a governadora, a dimensão dos problemas sociais exige de todos, jornalistas, governantes e governados, uma discussão séria.
“Devemos, conjuntamente, discutir e executar, de modo participativo, as políticas e planos de acção integrados, para satisfazer as necessidades básicas da família e o fortalecimento das suas capacidades e responsabilidades”, salientou a governante.
Para ela, o uso correcto dos meios de comunicação pelos jornalistas promove a mudança de atitudes positivas nos seres humanos e, obviamente, na relação institucional do Estado com a população.
Defendeu ser necessário separar a componente intelectual da emocional no exercício do jornalismo.
“A competência em comunicação é um processo interpessoal que deve atingir o objectivo dos comunicadores, o que requer dos profissionais de informação uma atitude de clareza e objectividade na abordagem dos assuntos candentes da nossa sociedade”, disse.
Segundo a dirigente, para a sociedade angolana, a questão da “violência doméstica e contra as crianças”, convida as pessoas a uma reflexão séria sobre alguns comportamentos menos cívicos presentes quase todos os dias nos noticiários que, no seu entender, deveriam ocupar um espaço pedagógico-educativo mais acentuado na comunicação social, sobretudo na rádio e televisão.
A titular da província da Lunda-Sul considerou a violência como um fenómeno que se apresenta, sob diversas formas, em todas as sociedades como uma dura herança comum dos povos do planeta.
“Felizmente, as mudanças sociais e culturais em curso nas sociedades modernas mostram algumas tendências que conferem à mulher direitos e deveres iguais ao homem, o que pressupõe uma acção consciente no sentido da transformação social”, advogou.

Tempo

Multimédia