Províncias

Mais 130 salas de aula construídas este ano

Isidoro Samutula |Cuilo

O governador provincial da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, reconheceu, no município do Cuilo, a superlotação das salas de aula no presente ano lectivo e anunciou a entrada em funcionamento, nos próximos três meses, de 130 novas salas, para acolher mais de dois mil alunos que estudam em condições menos dignas.

Governador avaliou execução de projectos no município do Cuilo
Fotografia: Isidoro Samutula

O governante disse que algumas escolas começaram a ser superlotadas devido ao encerramento de algumas igrejas que serviam de salas de aula, no âmbito da operação resgate, por não reunirem os requisitos exigidos por lei.
Ernesto Muangala considerou o sector da Educação como uma das grandes apostas da sua administração e garantiu criar as condições que permitam maior inserção de crianças no sistema de ensino e aprendizagem, com a construção de novas infra-estruturas escolares, que, segundo afirmou, devem corresponder ao nível de crescimento da população jovem em idade escolar.
Ao avaliar o grau de execução física de várias obras sociais projectadas pela Administração Municipal do Cuilo, que estiveram paralisadas por falta de financiamento, o governador provincial chamou a atenção para a necessidade da rápida conclusão das escolas e postos médicos, devido ao seu impacto directo na vida das comunidades.
Ernesto Muangala está convicto que as administrações municipais devem acelerar as obras sociais nas suas áreas de jurisdição, tendo em conta a disponibilização regular do fundo especial de 25 milhões de kwanzas, que beneficiam todos os meses, destinado particularmente à promoção do equilíbrio social a nível das comunidades. Para tal, o governador espera que os empreiteiros possam também cumprir a sua parte, devendo, para isso, observar os prazos a que se propuseram executar as obras, para que as mesmas possam estar à disposição da população, ainda este ano.
Reconheceu haver alguns atrasos de pagamentos de al-gumas obras, mas garantiu que a situação está a ser resolvida e todas as dívidas podem ser pagas nos próximos dias. “Temos emitido as ordens de saque, o problema está com o Ministério das Finanças e o banco BPC, mas é uma questão que poderá ser ultrapassada em pouco tempo”, garantiu, convidando os empreiteiros com pagamentos atrasados a contactar o Governo Provincial, esta semana, para encontrar uma solução.

Infra-estruturas do Cuilo
O governador provincial da Lunda-Norte disse ter ficado satisfeito com a implantação, nos últimos cinco anos, de várias infra-estruturas sociais no município do Cuilo, o que está a proporcionar um melhor atendimento às ne-cessidades sociais básicas da população.
Ressaltou a construção do hospital municipal, dotado de equipamentos médicos modernos e que tem vindo a realizar vários serviços, com destaque para cirurgias.
Segundo o governante, des-de a entrada em funcionamento da unidade sanitária, a população do município do Cuilo deixou de se deslocar à cidade do Dundo, capital da província, à procura de serviços básicos de saúde.
O município do Cuilo é uma circunscrição rural que vive fundamentalmente da agricultura de subsistência. Para o governador provincial, o futuro da região passa necessariamente pela implantação de agências bancárias, para o financiamento de projectos agrícolas, de modo a que a agricultura familiar possa transitar para uma agricultura mecanizada.
“Tomamos a iniciativa de construir uma infra-estrutura que a princípio seria para o banco BPC, mas por causa de alguns problemas financeiros ainda não foi aproveitada. O edifício está disponível para qualquer banco comercial”, esclareceu Ernesto Muangala, que lançou convite aos bancos comerciais que se dedicam ao financiamento de projectos agrícolas.
A Administradora municipal do Cuilo, Teresa Ngam-bo, anunciou a execução de vários projectos para a me-lhoria da qualidade de vida dos munícipes.

Tempo

Multimédia