Províncias

Mais de 10 mil pessoas estão infectadas com VIH/Sida

Weza Pascoal| Menongue

Cerca de 10 mil cidadãos da província do Cuando Cubango estão infectados com VIH/Sida e mais de 40 morreram de Janeiro a Novembro do ano em curso, vítimas desta doença, informou à imprensa o director provincial da Saúde, Lucas Macai.

Milhares de pessoas desfilaram em Luanda para chamar atenção sobre o perigo da proliferação do VIH/Sida no país
Fotografia: Miqueias Machangongo | Edições Novembro

Segundo o responsável, o Cuando Cubango continua a ser a segunda província do país com maior número de pessoas infectadas, cuja taxa de seroprevalência é de cinco por cento, depois do Cunene.
Lucas Macai fez saber que, desde o início deste ano, mais de 1.900 pessoas foram diagnosticadas com VIH/Sida, sendo a faixa etária mais afectada dos 25 aos 45 anos . “Deste número, 246 casos foram diagnosticados em mulheres gestantes dos 15 aos 45 anos, nos nove municípios da província”, sublinhou.
Como uma das medidas para a diminuição da taxa de prevalência, o Departamento Provincial de Saúde Pública implementou uma campanha de sensibilização, porta-a-porta, para explicar à população os métodos de prevenção e os perigos da doença. “Estamos a sensibilizar as pessoas em alguns bairros do município de Menongue com o objectivo de informá-las sobre os riscos da doença, formas de contágio e prevenção. Também estamos a distribuir preservativos e folhetos informativos”, informou o responsável da Saúde na província.
“As autoridades sanitárias”, prosseguiu, “vão intensificar esta campanha de informação nas escolas, igrejas e nas aldeias situadas em áreas recônditas da província, com a finalidade de travar o aumento de pessoas seropositivas. Portanto, a pretensão é que as pessoas nas comunidades saibam prevenir-se contra a doença, usando várias métodos, como abstinência sexual, fidelidade, o uso correcto do preservativo, enfim, temos de educar as pessoas nesta vertente.”
O director provincial da Saúde assegurou que a província “tem anti-retrovirais suficientes para atender os doentes que buscam assistência nos hospitais.”

Nascer Livre para Brilhar

Dados da Saúde Pública na província apontam que, no decurso deste ano, cinco mil 224 mulheres grávidas aderiram aos testes voluntários de VIH/Sida, das quais 246 foram diagnosticadas com a doença e submetidas à prevenção de transmissão vertical (PTV), à luz do programa “Nascer Livre para Brilhar”, que visa a prevenção do contágio da doença da mãe para o filho.
No período em referência, 41 gestantes seropositivas tiveram bebés, que estão a receber regularmente assistência médica e medicamentosa para se determinar o seu estado serológico, já que as mães não cumpriram com rigor a prevenção de transmissão vertical.
Segundo Lucas Macai, no Cuando Cubango, muitas mulheres gestantes, sobretudo as que têm VIH/Sida, não vão às consultas pré-natal, têm os partos em casa e acabam por não ser submetidas ao corte de transmissão vertical.

Tempo

Multimédia