Províncias

Mais de mil alunos deixam de estudar debaixo de árvores

Carlos Paulino | Menongue

Mais de dois mil alunos do ensino primário e do primeiro ciclo, que estudavam debaixo de árvores e em capelas, nos bairros Tchindandi e Cunha, arredores da cidade de Menongue, província do Cuando Cubango, estão inseridos em duas escolas de construção definitiva, inauguradas ontem pelo governador provincial, Pedro Mutindi.

Milhares de crianças, que estudavam ao relento, celebraram ontem o ingresso em escolas de construção definitiva
Fotografia: Nicolau vasco | Edições Novembro

Os dois estabelecimentos, que vão albergar ainda centenas de alunos que se encontravam fora do sistema de ensino, foram reabilitados e ampliados. A Escola Dr. António Agostinho Neto tinha capacidade apenas para pouco mais de três centenas de alunos, agora vai acolher mais de mil. O complexo escolar do bairro Tchindandi, designado “Tribuna do Povo”, que tinha duas salas, passou a ter oito, possibilitando o ingresso de cerca de mil estudantes.
O estudante Lívio Ramos, manifestou, em nome dos colegas da escola do bairro Cunha, satisfação por muitas crianças ingressarem desde ontem no sistema de ensino e, também, por centenas de alunos deixarem de estudar debaixo de árvores e capelas. “Muitas vezes não assistíamos aulas porque havia actividade nas igrejas onde estudávamos”, lembrou com tristeza estampada no rosto.
O governador do Cuando Cubango, Pedro Mutindi, apelou aos alunos e aos habitantes das referidas localidades para cuidarem das duas escolas “para que as futuras gerações possam beneficiar” também das infra-estruturas.
“O Governo Provincial vai continuar a desenvolver esforços para terminar as obras de construção da escola de 12 salas de aula no bairro Castilho e outra de sete salas no bairro Cazenga, para diminuir o número de crianças fora do sistema de ensino e retirar alunos das capelas e debaixo de árvores”, garantiu Pedro Mutindi.
O governador alertou à população para estar atenta às acções de vandalismo que têm sido muito frequentes em infra-estruturas públicas na província. “Os alunos e todos os habitantes da comunidade têm de estar atentos para que estas escolas não sejam vandalizadas. Devem denunciar às entidades competentes qualquer acção de sabotagem”, apelou, para acrescentar: “O Governo do Cuando Cubango está consciente de que ainda não fez tudo para o bem-estar da população, ou seja, ainda tem muito por fazer, mas é notório que as mudanças aconteçam um pouco por toda a província.”
O governador adiantou que o seu elenco está a trabalhar também para alargar a rede eléctrica, na medida em que a nova central térmica de Menongue, com capacidade de 50 megawatts, pode beneficiar toda a cidade.

Tempo

Multimédia