Províncias

Mais de 200 moradias na área da Açucareira

Alfredo Ferreira | Bengo

Um total de 212 fogos habitacionais vão ser construídos na localidade da Açucareira, na província do Bengo, no âmbito do programa de urbanização dos novos projectos do Estado, com vista a melhorar a vida da população da  região.

Membros do Governo e da Imogestin colocaram os primeiros blocos do projecto
Fotografia: Edmundo Eucílio | Edições Novembro | Bengo

O projecto habitacional beneficia 1.272 habitantes e foi apresentado na terça-feira, pelo Governo Provincial do Bengo e pela Imogestin.
A implementação do projecto habitacional da Açucareira permite, numa primeira fase, a construção de 152 fogos, em cinco edifícios de quatro pisos, incluindo lojas, enquanto a segunda fase do projecto será executada na localidade das Mabubas.
O novo projecto habitacional do Bengo inclui arruamentos, sinalização rodoviária, rede de telecomunicações, reservatórios de água, postos de transformação de energia eléctrica, drenagem das águas pluviais e uma estação de bombagem e filtragem de água.
Segundo o presidente do conselho de administração da Imogestin, Rui Cruz, o projecto habitacional da localidade da Açucareira  conta   com uma escola, que alberga  cerca de 600 alunos do ensino primário.
Rui Cruz explicou que os edifícios vão contar com apartamentos do tipo T3, sendo que o prazo de duração das obras está estabelecido em um ano e cinco meses.
“As obras começaram terça-feira e prevêem também a construção de um posto policial, centros de saúde, zonas verdes, campo multiuso e um parque infantil”, segundo Rui Cruz.
O governador da província do Bengo, João Bernardo de Miranda, disse estar satisfeito com o projecto habitacional, após um período de várias análises realizadas no terreno.
“O projecto habitacional vai dar possibilidade de melhorar a vida de muitos habitantes, fundamentalmente trabalhadores da função pública, que maioritariamente residem na vizinha província de Luanda”. O governante reconheceu o papel do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, pela sua dedicação e empenho em projectos que visam o desenvolvimento sustentável do país.

População expectante

A população da província do Bengo está expectante com o término do projecto, como é o caso da jovem Ladimira Gomes, moradora no bairro, e de Jaime dos Santos, que esperam viver no projecto habitacional da Açucareira.
Ladimera Gomes mostrou-se satisfeita pelo facto de a Imogestin continuar os projectos habitacionais na província do Bengo e augura que as obras decorram dentro dos prazos previstos. Jaime dos Santos argumentou de que aguarda com expectativa o término das obras, visto que vai mudar a imagem da circunscrição e oferecer melhores condições de vida aos futuros moradores.  “A Imogestin já efectuou muitos estudos na nossa província, mas na prática só executou o projecto de Kapari”, lamentou Jaime dos Santos.
O soba da região do Dande, Francisco Sala Mubemba, disse que o projecto é bem-vindo, porque a população precisa de melhores condições habitacionais.
 Francisco Sala Mubemba aproveitou a ocasião para pedir mais projectos de impacto social, para melhorar a qualidade de vida da população, com destaque para a reabilitação das vias de acesso, que vão facilitar as trocas comerciais, a livre circulação de pessoas e mercadorias, bem como o escoamento dos produdos agrícolas para os princiapis mercados da região.
De acordo com fontes da empresa construtora, as obras do projecto habitacional estão avaliadas em 45 milhões de dólares, contando com 800 trabalhadores, entre angolanos e expatriados.

Tempo

Multimédia