Províncias

Mais de 20 mil famílias afectadas pela estiagem

Sampaio Júnior|Benguela

Mais de vinte mil famílias no município do Chongoroi,  província de Benguela, estão afectadas pela estiagem devido a falta de chuvas na  região , revelou ontem a administradora municipal local,  Maria  Carlos.

Fotografia: José Cachiva | Angop

Segundo aquela responsável, nos próximos dias o número de populares afectados pela seca poderá aumentar , prevendo-se  uma calamidade  entre as populações , pois ficarão sem as culturas e consequentemente sem alimentos .

 “ Neste momento estamos apenas a sensibilizar a população a cultivar os produtos mais resistentes à seca, como a mandioca e a massambala”,  disse a administradora.   

Muitas famílias assoladas pela  fome clamam por apoio urgente de alimentos e medicamentos, devido  a desnutrição que  já se faz sentir desde Outubro do ano passado. “A estiagem  está a provocar muitos danos à saúde das populações,  pois devido a falta de alimentos estão a comer  mangas verdes”, lamentou.

As consequências da seca estão a se fazer sentir em várias localidades da província de Benguela, particularmente na região sul onde inúmeras famílias  camponeses  estão a passar por grandes dificuldades alimentares porque as suas  culturas estão a secar.

Um dos casos que  também está a preocupar as autoridades da província  prende-se com as 140 famílias na povoação de Lomia, no município de Caibambo,  que estão alimentar-se de mangas verdes devido à falta de comida. Estas famílias alimentava-se, basicamente, dos produtos que cultivavam, mas como não chove há já larga temporada não têm o que comer. 

A directora provincial do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género, Leonor Fundanga, lançou um pedido de ajuda para socorrer às famílias que estão a ser vítimas da estiagem.

“As mulheres com quem reunimos na presença do administrador  municipal disseram-nos que é graças às mangas verdes que têm estado a acudir grandemente aquela população”, referiu Leonor Fundanga, acrescentado que a situação é extremamente crítica, pelo que merece intervenção urgente das entidades de direito.

A estiagem não assola apenas a localidade do Lomia, em Caibambo, pois já se estendeu aos municípios do Cubal, Ganda e Chongoroi. A escassez de chuva na região comprometeu as colheitas. 

Leonor Fundanga qualificou ainda  de grave a situação para uma população que vive essencialmente da agricultura, e que está localizada em zonas onde as vias de acesso são precárias. 

Tempo

Multimédia