Províncias

Mais de 50 crianças morrem de má nutrição

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Ao todo 60 crianças , dos zero aos cinco anos de idade, morreram de má nutrição severa e aguda moderada, de um total de 3.978 casos notificados no decorrer dos últimos nove meses em diferentes unidades sanitárias da província do Cunene.

Centenas de menores até aos cinco anos estão assolados de má nutrição
Fotografia: DR

A informação foi prestada ontem à imprensa, em Ondjiva, pelo supervisor provincial do Programa de Má Nutrição, Teófilo Emílio, que disse,  comparativamente ao mesmo período de 2017, houve uma diminuição de mil  755 casos e dois óbitos.
“A redução, tanto dos casos de doença quanto de óbitos, deve-se à sensibilização às mães sobre a importância do aleitamento materno exclusivo, manutenção de  alimentação saudável às crianças,  assim como o refrescamento dos agentes comunitários sobre  técnicas de triagem e tratamento da doença”, sublinhou Teófilo Emílio.
Entre as razões para esta situação, o responsável  apontou o desequilíbrio alimentar por parte de algumas famílias, associado ao desmame  precoce de crianças, como sendo alguns dos factores que concorrem para o aumento de casos de má nutrição.“O governo provincial, através da Direcção da Saúde, em colaboração com as repartições municipais do sector, está a estender os serviços  nesta vertente às comunidades, o que está a contribuir para a notificação de mais casos de má nutrição a nível da região”, explicou. 
“No Cunene, esta prática é comum, sobretudo, entre mães adolescentes que pouco tempo depois do parto levam os filhos a viver com os avôs. Outras, por razões laborais e de estética, deixam de amamentar os filhos, fazendo-os correr vários perigos de vida”, precisou.

Tempo

Multimédia