Províncias

Mais enfermeiros com licenciatura

Arão Martins| Lubango

Os primeiros finalistas da Escola Superior Politécnica de Ondjiva (Cunene), afecta à Universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMN), formados nas especialidades de Enfermagem e Análises Clínicas, recebem em Abril os diplomas e certificados de licenciatura.

Cerimónia de baptismo de caloiros dos novos estudantes da Universidade Mandume Ya Ndemufayo realizada na cidade do Lubango
Fotografia: Arão Martins| Lubango

O reitor em exercício da Universidade, Abraão Mulangi, que deu esta informação na cerimónia de baptismo dos novos estudantes, disse que o ganho vai repercutir-se positivamente no atendimento às populações em diversas unidades hospitalares, onde os novos quadros vão ser colocados.
Sem revelar o número de alunos a serem outorgados em cerimónia a decorrer em Ondjiva, assegurou que a colocação, anualmente, de novos quadros formados na área da medicina vai contribuir positivamente para a melhoria da qualidade de assistência médica e medicamentosa às populações.
Em 2015, a Universidade vai pôr no mercado de emprego os primeiros 49 médicos formados pela Faculdade de Medicina, com sede na cidade do Lubango.
“A Universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMN) orgulha-se de, pela primeira vez, lançar no mercado os primeiros finalistas, para reforçar o quadro do pessoal no sector da Saúde no país”, afirmou. A Universidade tem natureza binária, caracterizando-se pela integração de instituições de ensino universitário e politécnico, com organização unificada, destinada à formação de quadros superiores e de investigadores nos diversos ramos do saber, segundo o reitor.
A Universidade Mandume Ya Ndemufayo encontra-se estruturada em unidades orgânicas (Faculdades, Institutos e Escolas), organizadas em departamentos de ensino e investigação, onde são ministrados vários cursos e especialidades em diversas áreas, ao nível da graduação (licenciatura).
Estão integradas a Faculdade de Direito, de Economia e a Faculdade de Medicina (Lubango), Instituto Superior Politécnico, na comuna da Arimba, município do Lubango, Escola Superior Politécnica e Superior Pedagógica do Namibe, Escola Superior Politécnica do Cunene e a Escola Superior Politécnica, no Cuando Cubango.
Abraão Mulangi assegurou que, doravante, todas as unidades orgânicas passam a fornecer quadros finalistas, o que para aquela direcção e sociedade é motivo de orgulho.
A UMN integra a 6ª região académica, abrangendo as províncias da Huíla, Namibe, Cunene e Cuando Cubango, com sede no Lubango.
“A missão da Universidade é produzir e difundir conhecimentos para formar cidadãos e profissionais qualificados, empenhados no desenvolvimento sustentável de Angola, incidindo especificamente na formação humana, cultural, científica e técnica”, salientou Abraão Mulangi.
A realização da investigação fundamental e aplicada, a preservação e valorização do seu património científico, cultural, artístico e natural, a cooperação com a sociedade da sua região académica e do país em geral, numa perspectiva de valorização recíproca, o intercâmbio cultural, científico e técnico com instituições congéneres, nacionais e estrangeiras, constam também entre os objectivos da UMN. A contribuição, no seu âmbito de actividade, para a cooperação internacional e para a aproximação dos povos, com especial relevo para os países de expressão oficial portuguesa, e os países da SADC, são outros pressupostos da instituição de ensino superior, que matriculou, no presente ano académico, 10.611 estudantes, em 35 cursos.

Tempo

Multimédia