Províncias

Mais licenciados no mercado de trabalho

António Gonçalves | Benguela

Um grupo de 215 licenciados em várias áreas do saber foram colocados agora no mercado de trabalho da província de Benguela, pelo pólo local do Instituto Superior Politécnico Jean Piaget.

Em cada ano que passa aumenta o número de técnicos de nível superior à disposição do mercado de trabalho em quase todo o país
Fotografia: Cândida Benjamim

Os outorgados são finalistas dos cursos de Direito, Economia, Psicologia, Sociologia, Engenharia de Refinação de Petróleos, Electromecânica, Informática, Construção Civil, Línguas e Enfermagem, como realçou o reitor da instituição, Bonifácio Chimboto.
O reitor considerou que a Universidade deve ser sempre a interpretação dos anseios da sociedade, referindo que se “há doentes a gemer nos hospitais, estradas por construir e pontes por ligar, há, sobretudo, consciências por formar”, lembrou Bonifácio Chimboto.
A universidade deve dar o seu contributo como parceiro do Governo, ajudando a resolver os problemas mais candentes para o bem-estar da população, através da oferta de técnicas e mentes preparadas em ciência e em consciência.
O reitor salienta que a instituição que dirige nunca se preocupou com números, o que, na sua modesta forma de explicar, refere que a maior preocupação, antes de mais, é de formar a pessoa, em vez de apenas oferecer-lhe o diploma de final de curso, o que justifica igualmente as reprovações que ocorrem durante os períodos académicos nos diversos cursos.
Bonifácio Chimboto acrescentou que a insistência da instituição reside igualmente na formação científica, daí que licenciaturas ali feitas terminam com a produção de um trabalho científico. “O estudante tem que produzir um pouco de ciência”, defendeu.
Apesar de todos os constrangimentos que o país vai atravessando, o Instituto Superior Politécnico Jean Piaget, de acordo com o reitor, vai fazendo a sua parte e espera que a sociedade seja igualmente crítica para que seja melhorado o que deve ser melhorado. Sobre a empregabilidade dos licenciados produzidos pelo Instituto Superior Politécnico Jean Piaget, o reitor refere que existe um grande “feed back” da sociedade, como é o caso de uma empresa cuja direcção está interessada em contratar todos os estudantes do curso de Electromecânica do 3º ano até ao final da licenciatura.
“Isso quer dizer que muitos dos nossos estudantes são contratados antes de concluírem a sua licenciatura, sobretudo nas áreas tecnológicas”, refereo o reitor do Instituto Superior Politécnico Jean Piaget, para avançar que situação semelhante já não acontece com os formandos das Ciências Humanas. Em face disso, Bonifácio Chimboto deixou claro que as criatividades individual e colectiva devem fazer parte do modo de vida dos estudantes e da sociedade angolana, daí que o Instituto Superior Politécnico Jean Piaget-Pólo da província de Benguela criou uma incubadora de empresas na área das economias, para que as pessoas aprendam a fazer da própria iniciativa a criação de emprego para si e para as outras pessoas.

Tempo

Multimédia