Províncias

Malanje: Municípios do Massango e Mucari têm água potável

Eduardo Cunha e Venâncio Victor |Malanje

Ao todo, 6. 876 habitantes da sede municipal de Massango beneficiam de água potável, com a entrada em funcionamento de um sistema de captação, tratamento e distribuição, com capacidade para bombear 50 metros cúbicos por hora.

opulação mais aliviada com a entrada em funcionamento do sistema de água
Fotografia: Eduardo Cunha | Edições Novembro

O equipamento social, inaugurado esta semana pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, orçou em cerca de 11 milhões de dólares e foi executado num período de três anos, com recursos da linha de crédito da China.

João Baptista Borges disse que o referido sistema vai permitir garantir o abastecimento de água à sede municipal de Massango até 2036. Informou que o projecto, que contempla fontes de abastecimento do precioso líquido nas proximidades das residências, permitiu 400 ligações domiciliares.
O governante disse terem sido contactados jovens para garantir a manutenção do sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável, admitindo que o número pode vir a aumentar em função dos serviços a prestar.
A nível da província existem seis sistemas de abastecimento de água em construção, três dos quais estão já concluídos e igual número se encontram em fase conclusiva nos municípios de Malanje, Marimba e Cangandala.
Apesar dos esforços, o ministro reconheceu que as necessidades da província são maiores no que concerne ao abastecimento de água potável às populações, tendo em conta os 14 municípios que compõem a região.
Para o soba de Massango, Fernando Murreto, a data fica marcada na memória da população que ressentia pela carência da água potável durante décadas.

Município do Mucari

Um outro sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável entrou em funcionamento no município de Mucari, a 54 quilómetros a Leste da cidade de Malanje, com capacidade para bombear 100 metros cúbicos por hora. O empreendimento vai beneficiar mais de 10 mil habitantes daquela circunscrição.
As obras, que duraram igualmente três anos, permitiram a realização de mais de 400 ligações domiciliares, bem como chafarizes. O ministro da Energia e Água, João Baptista Borges, garantiu que a rede de distribuição vai se estender ao maior número possível de habitantes da sede municipal de Mucari e arredores.
“A água é um bem essencial para a vida e para a saúde. Sabemos que vivemos um momento particularmente sensível do ponto de vista de saúde, com o surgimento do Covid-19”, notou. A disponibilidade da água no Mucari, acrescentou, vai contribuir para melhorar as condições sanitárias e diminuir o número de doenças resultantes do consumo de água imprópria no seio da população da sede municípal.  

O governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos, pediu às populações beneficiárias para cuidarem do equipamento social posto à disposição, com vista a garantir o seu tempo de vida útil.  Norberto dos Santos disse também que, a par dos sistemas de água de Massango e Mucari, estão, igualmente, em curso as estações de abastecimento de água de Cangandala, Malanje e Kiwaba Nzoji, sendo que esta última já está pronta para servir a população local. O administrador municípal do Mucari, Sebastião Rodrigues, disse que a entrada em funcionamento do sistema vai ajudar a minimizar a carência de água nos municípes. “Penso que este momento constitui uma honra e motivo de satisfação para as populações da sede municipal”.

Ensino permite o ingresso de mais 540 novos alunos

Uma escola do I ciclo do ensino secundário, com capacidade para absorver 540 alunos, em dois turnos rotativos, entrou em funcionamento na sede municipal de Massango.
Inaugurada pelo governador provincial, Norberto dos Santos “ Kwata Kanawa”, a infra-estrutura conta com sete salas de aula. O empreendimento, construído no âmbito do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza, custou aos cofres do Estado 58 milhões de kwanzas.
O governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos “ Kwata Kanawa”, apelou para a necessidade da denúncia de acções de vandalismo nas escolas, uma prática decorrente que preocupa as autoridades e que os seus infractores devem ser responsabilizados criminalmente. Acrescentou que não se deve permitir a retirada de carteiras para outros fins, como festas, óbitos e pedidos de noivado.
O administrador de Massango, Luís João José, disse que o novo estabelecimento de ensino vai ajudar a inserir mais crianças no sistema de ensino e aprendizagem, e evitar que outras estudem em condições precárias.
Numa mensagem lida na ocasião, os alunos prometem cuidar do estabelecimento de ensino e incentivaram o Governo Provincial a cumprir com os 11 compromissos a favor da criança.
Os alunos manifestaram a sua satisfação pela construção da escola, o que, segundo os menores, demonstra a preocupação face às dificuldades da população estudantil.
Reconhecem haver melhorias do sector no que respeita aos reforços da rede escolar e da qualidade de ensino e aprendizagem na região. “Acreditamos nos esforços do Governo na resolução das dificuldades do sector da educação, contribuindo, deste modo, para uma educação de qualidade. Prometemos proteger este património público”, lê-se na mensagem.
Os alunos de Massango dizem esperar pela construção de mais escolas que contemple áreas desportivas na sede municipal e comunas.

Tempo

Multimédia