Províncias

Administração sensibiliza os vendedores

Sónia Maria | Caculama

A Administração Municipal de Caculama, na província de Malanje, preocupada com a venda ambulante que tem crescido nos últimos dias ao longo da estrada, criou uma comissão para sensibilizar os vendedores sobre os riscos que enfrentam.

Venda à berma das estradas vai terminar
Fotografia: Santos Pedro

O administrador municipal adjunto, António Manuel Justino, informou que foi criada uma comissão que vai actuar de forma rigorosa na sensibilização e na tomada de medidas aos que insistirem em vender ao longo da estrada.  António Justino, depois de ter efectuado uma visita à via que liga os bairros Bulo, aldeia Cagiza e Calololo, chamou à atenção da população para evitar tais práticas, que podem produzir consequências desastrosas, pois, como disse, “o município tem espaços criados para a venda”, afirmou.  O município de Caculama, disse o responsável, tem mercados equipados com todos os meios mas apesar disso “vários cidadãos insistem em vender nas estradas, onde se registam dois a três acidentes graves por dia”, realçou. O administrador municipal adjunto de Caculama sublinhou que a recolha dos produtos e a detenção dos prevaricadores vão constar das acções a serem levadas a cabo, que já começaram com as acções de sensibilização e identificação dos locais onde se concentram tais vendedores.
Para Manuel Justino, o comércio joga um papel muito importante no desenvolvimento social e económico de qualquer região daí “a necessidade de se trabalhar para o melhoramento das actividades e a organização comercial do município, pois a venda nas estradas é um atentado à própria vida”, disse.
No âmbito do Programa de Investimentos Públicos, o município de Caculama ganhou um mercado com capacidade para 1.600 vendedores e está em funcionamento desde o ano de 2010. Por isso, acrescentou, não se justifica a venda de produtos nas bermas das estradas.

Tempo

Multimédia