Províncias

Aldeia de Camabole está livre de minas

Venâncio Victor | Malange

A brigada de desminagem da Organização Não-Governamental Ajuda Popular da Noruega (APN) removeu, desde Junho, na aldeia de Camabole, município de Caculama, doze minas anti-tanque e engenhos explosivos não detonados.

Um campo minado no interior do país cujos engenhos estão a ser desactivados por sapadores de uma ONG
Fotografia: Jornal de Angola

A brigada de desminagem da Organização Não-Governamental Ajuda Popular da Noruega (APN) removeu, desde Junho, na aldeia de Camabole, município de Caculama, doze minas anti-tanque e engenhos explosivos não detonados.
A informação foi dada, na quarta-feira, à imprensa, pelo oficial de operações da APN, que acrescentou que os engenhos explosivos foram desactivados numa área de 26.499 metros quadrados e que os trabalhos de desminagem na aldeia de Camabole, na comuna de Cambaxe, em Caculama devem terminar em Outubro. No mesmo, referiu Pedro Ngunza, foram removidas 52 minas anti-pessoais na cidade de Malange, nos bairros da Carreira de Tiro e Vila Matilde. />O responsável da APN anunciou a destruição, em breve, de sete engenhos explosivos e de munições recolhidos pela ONG Apacominas.
A APN, referiu, está a utilizar uma outra metodologia de desminagem, denominada “Libertação de Terras”, que permite uma rápida obtenção de informações sobre áreas consideradas de alto e baixo risco.
Da lista de prioridades para o próximo ano constam a limpeza e pesquisa técnica das posteriores áreas de intervenção.
Pedro Ngunza afirmou que já estão identificadas 15 áreas contempladas no plano provincial de desminagem.

Tempo

Multimédia