Províncias

Aumentam os casos da malária na região

O consumo de água imprópria para consumo e a falta de medidas de prevenção das doenças, faz com que a malária, as doenças diarreicas e respiratórias agudas sejam as patologias mais frequentes no município de Quirima, em Malange.

O chefe em exercício da repartição municipal da Saúde, Domingos Julante, garantiu que têm sido envidados todos os esforços no sentido de se prevenir perdas humanas, através da sensibilização das populações, com vista ao uso de mosquiteiro e do acatamento de outras medidas.
Sem avançar números, explicou que durante o ano passado foram registadas algumas mortes por malária, mas, actualmente, devido ao tempo seco, houve uma redução considerável de casos.
A par destas doenças, outra preocupação prende-se com a insuficiência de enfermeiros, técnicos de diagnóstico, entre outros quadros, tal como o difícil acesso a Cameme, que fica a 110 quilómetros da sede de Quirima. Na localidade existe um posto de saúde em funcionamento, mas o apoio aos serviços sanitários e a distribuição de meios têm sido condicionados pelas más condições da estrada que dá acesso à região. O município tem cinco unidades sanitárias, sendo um hospital municipal e quatro postos de saúde.

Tempo

Multimédia