Províncias

Aumentam os doentes com tuberculose

Luisa Victoriano | Malange

Um total de 524 casos de tuberculose foram diagnosticados até Setembro deste ano no Hospital Sanatório de Malange, informou o director da unidade. 

Muitos doentes provenientes de vários município de Malange foram abandonados pelos seus familiares durante o tempo de internamento
Fotografia: Genivaldo Fonseca|Malange

Manuel Luís  disse que os casos diagnosticados em consultas estão associados ao VIH-Sida e dos 524 pacientes, 286 foram internados e 238 fazem o tratamento em ambulatório.
O director do hospital esclareceu que muitos destes doentes, provenientes de vários municípios da província de Malange, foram abandonados pelos seus familiares durante o tempo de internamento, situação que tem preocupado a direcção da unidade sanitária.
“Muitos destes doentes recebem ajuda de pessoas de boa fé e de instituições, como a direcção provincial de Assistência e Reinserção Social e da direcção do Hospital Sanatório, no que concerne a alimentação, vestuário e apoio moral”, notou.
Relativamente aos medicamentos, o director do hospital garantiu existirem fármacos suficientes para dar resposta às necessidades e que a unidade tem apenas 60 camas para internamento, um número claramente insuficiente para atender a procura. Manuel  Luís afirmou a sua preocupação com o espaço limitado do hospital, numa altura em que vão surgindo muitos casos de doentes que necessitam de uma atenção mais cuidada, situação que já foi comunicada a instância superior.
A  tuberculose, disse, continua a causar dor em muitas famílias e embora reconheça existirem medidas eficazes de controlo da doença em todo mundo, continua a ser um grande problema de saúde pública em África. De acordo com Manuel Luís, a epidemia da tuberculose em África deve-se principalmente a factores relacionados com a pobreza e os efeitos negativos da co-infecção desta doença e do VIH.
“A tuberculose é uma doença bacteriana e infecto-contagiosa. Antigamente chamavam-lhe peste cinzenta, causada pelo mycobacterium  tuberculoses ou bacilo de Koch”, especificou, lembrando que a enfermidade também é  conhecida em português como tísica pulmonar ou doença do peito, que apresenta características específicas. “A transmissão da tuberculose é directa e ocorre de pessoa para pessoa via gotículas de saliva, contendo o agente infeccioso o maior risco de transmissão durante contactos prolongados em ambientes fechados e com pouca ventilação”, sublinhou.
Os sinais da doença começam com a perda de peso, tosse persistente,   febre, suor, cansaço, mal-estar e posteriormente tosse com sangue. Os doentes com tuberculose também apresentam sintomas como a  dificuldade em respirar, eliminação de grande quantidade de sangue, colapso do pulmão, tosse seca com secreção com mais de  quatro semanas, cansaço excessivo, palidez e falta de apetite.
O Hospital Sanatório  de Malange tem três médicos, técnicos de saúde, perfazendo um total de 110 profissionais.

Tempo

Multimédia