Províncias

Balcão do empreendedor brevemente na província

Luísa Victoriano | Malange

A província de Malange conta, nos próximos dias, com um Balcão Único do Empreendedor (BUE), anunciou quinta-feira o vice-governador para a esfera económica, Dias da Silva.

Vice-governador António Dias da Silva
Fotografia: Genivaldo Fonseca|Malange

A província de Malange conta, nos próximos dias, com um Balcão Único do Empreendedor (BUE), anunciou quinta-feira o vice-governador para a esfera económica, Dias da Silva.
O governante revelou o facto durante um encontro com empresários, empreendedores, membros do governo e administradores municipais para abordar os programas de apoio às micro, pequenas e médias empresas do sector formal e informal. Dias da Silva referiu que as obras do BUE decorrem a “bom ritmo” e que todas as sedes municipais são abrangidas.
O BUE tem áreas dos serviços de Veterinária, Impostos, Estatística, Ficheiro Central de Denominação Social, Instituto de Segurança Social e da direcção do Comércio.
O BUE é um novo serviço público, cuja finalidade é simplificar o processo de constituição e licenciamento de empresas, regularização da actividade de empreendedores, recordou o vice-governador.
Dias da Silva acrescentou que é uma oportunidade para os jovens realizarem os seus pequenos negócios, no mercado formal e informal, com pequenas actividades, como oficina, serralharia, pintura, canalização e outras.
O coordenador do Programa de Desenvolvimento das Micro, Pequenas e Médias Empresas, Pedro Yola, disse que as organizações são certificadas no Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (INAPEM).
Pedro Yola afirmou que os pequenos empreendedores, como engraxadores, costureiros, pasteleiros, entre outros, vão obter o financiamento equivalente a 679.000 kwanzas, através de kits para diferentes profissões.
Quanto ao financiamento, as micro empresas beneficiam até 200 mil kwanzas, as pequenas um milhão e meio, enquanto as médias podem receber até cinco milhões de kwanzas. A taxa de juro vai até aos cinco por cento, esclareceu o coordenador do Programa de Desenvolvimento das Micro, Pequenas e Médias Empresas.
O responsável salientou que o programa foi aprovado pelo Executivo angolano para facilitar o acesso ao financiamento e incentivar a produção nacional, bem como estimular as iniciativas de impacto económico e social.

Tempo

Multimédia