Províncias

Barragem de Laúca realiza teste de sincronia

O Ministério da Energia e Águas anunciou quarta-feira, em comunicado, que começam no domingo os testes de sincronismo para a preparação da entrada em operação do primeiro grupo gerador do Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca.

Aproveitamento hidroeléctrico começa domingo a fazer os testes de sincronia
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

Segundo o documento, os testes de sincronismo, que vão durar 11 dias, consistem na verificação da conformidade do grupo gerador para poder, de forma estável, escoar a sua produção através do sistema eléctrico existente.
O Ministério da Energia e Águas alerta que durante o período de testes podem, eventualmente, ocorrer perturbações no funcionamento do sistema eléctrico, susceptíveis de se estenderem às redes de distribuição, com cortes e oscilações de tensão, embora todas as condições estejam a ser reunidas para se evitarem ou minimizarem tais constrangimentos.
O sector apela à compreensão dos consumidores para os eventuais constrangimentos no sistema eléctrico, “certo de que a entrada em operação do Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca é um passo em frente na consolidação da estabilidade no abastecimento de energia eléctrica ao país”.
O primeiro grupo gerador do Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca, na província de Malanje, começa a produzir 334 Megawatts (MW) de electricidade a partir de 21 de Julho. Os testes na linha de transporte entre Laúca e a barragem de Capanda, ambas no rio Cuanza, e respectivas estações começaram a 31 de Maio último.

Aumento da produção
/>
Com a entrada em funcionamento das seis turbinas, a maior obra pública em construção no país vai ter uma produção de cerca de 2.070 MW de electricidade, mais do dobro da capacidade das duas barragens - Cambambe (960 MW) e Capanda (520 MW) - já em funcionamento no rio Cuanza.
Localizada entre as províncias do Cuanza-Norte e Malanje, o Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca foi encomendado pelo Estado angolano por 4,3 mil milhões de dólares. O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, lançou em Setembro do ano passado, na cidade do Huambo, o projecto de construção da linha de transporte que vai levar energia de Laúca para Waku Cungo e para o Huambo, permitindo desta forma que as cidades do Huambo e Waku Cungo possam ter uma energia com maior capacidade.
João Baptista Borges disse que o Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca tem a singularidade de permitir a interligação da região norte com o centro do país e que a linha vai fazer parte do sistema eléctrico nacional.
No futuro, projecta-se a continuação da mesma linha para o Lubango, e vai haver interligação entre Laúca, Huambo e Lubango. O complexo de Laúca garantiu emprego directoa 7.643 trabalhadores nacionais e 385 estrangeiros, entre operários qualificados e engenheiros.

Tempo

Multimédia