Províncias

Cacuso tem estação meteorológica

Venâncio Victor| Malanje

Uma estação meteorológica, com um raio de acção de 300 quilómetros, está a ser montada no município de Cacuso, a 72 quilómetros da cidade de Malange.

Um pormenor do município de Cacuso onde está a ser instalada a estação de meteorologia
Fotografia: Paulo Mulaza

O chefe de Departamento do Instituto Nacional de Meteorologia (INAMET) na província de Malanje, João Marcolino, disse que a instalação da estação climatológica de Cacuso faz parte do projecto “Sassal”, financiado por um consórcio alemão ao nível da África Austral, que contemplou Angola com dez estações em igual número de municípios do interior.
O município de Cacuso é o primeiro a ser beneficiado em Malanje. Um outro projecto, de acordo com o chefe de Departamento do INAMET, tem a ver com a expansão dos Serviços de Meteorologia nos 14 municípios da província de Malanje, cujo programa foi aprovado o ano passado e que deve começar a ser aplicado.
A cidade de Malanje conta com duas estações meteorológicas, das quais uma está instalada no Instituto Médio Agrário do Quéssua, para incentivar os estudantes a optar pela cadeira de Agrometrologia. Isto, frisou, ajuda os estudantes a conhecer melhor o papel e o impacto da meteorologia no domínio agrícola.
O responsável destacou o apoio do Governo Provincial que disponibilizou dois técnicos para os Serviços Provinciais de Meteorologia. Nos próximos concursos, que se vão realizar na região, são admitidos mais dois elementos, perfazendo um total de quatro. As informações climatéricas da Estação de Cacuso passam a ser feitas por via on-line, tornando necessário o acompanhamento periódico dos técnicos ao nível da sede.
Os quadros que devem funcionar na Estação Meteorológica de Cacuso são indicados pelo Governo Provincial de Malanje, segundo disse o responsável. As estações meteorológicas medem a pressão, temperatura e as quedas pluviométricas.
Os serviços de meteorologia antevêem para o primeiro trimestre intensas chuvas no território da província de Malanje. Esta anormalidade, frisou o chefe de Departamento do Instituto de Meteorologia, tem a ver com a situação geográfica e certo tipo de nuvens que provocam relâmpagos e trovoadas. O INAMET em Malanje está a fazer um levantamento de dados nas áreas mais afectadas por raios, devendo ser entregue ao Governo Provincial e às Administrações Municipais.
Este ano, o serviço meteorológico da província promete fazer uma previsão sazonal mais detalhada, para que os munícipes tenham maior percepção dos fenómenos climáticos.

Tempo

Multimédia