Províncias

Camponeses recebem tractores e alfaias

Francisco Curihingana| Malange

O Governo Provincial de Malange fez a entrega de tractores e  alfaias às associações de camponeses dos municípios de Cacuso, Quela e comuna do Cuale, município de Calandula.

Agricultores prevêem uma boa colheita
Fotografia: Jornal de Angola

O director Provincial da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, João Manuel, revelou que os equipamentos agrícolas foram adquiridos no ano passado, para os vários núcleos de associados dos vários municípios.
O processo de distribuiçao começou  na localidade de Kunda dia Base e nos próximos dias vão ser contempladas as regiões de Cangandala, Luquembo e Calandula.  Na província foi criado um programa de reconversão das variedades de mandioca para outras de maior resistência à virose que tem afectado as culturas, sobretudo nos municípios do Luquembo, Quirima e Cambundi Catembo, na região sul de Malange. Técnicos dos Institutos de Investigação Agronómica e de Desenvolvimento Agrário estão já a trabalhar para a reconversão das variedades afectadas pela virose e a garantir a sobrevivência da mandioca, base fundamental da dieta alimentar da população de Malange.
Para combater a doença, o responsável da agricultura informou que vão ser entregues máquinas de apoio ao programa de reconversão nos vários municípios da província, tendo solicitado aos camponeses associados para conservarem os equipamentos de modo a contribuírem para o aumento dos níveis de produção.O vice-presidente da União  Nacional das Associações de Camponeses (UNACA), Agostinho da Rosa, saudou a entrega dos meios, sublinhando que vão permitir o relançamento dos níveis de produção na província de Malange.
A cooperativa 24 de Março, no município de Cacuso, uma das beneificiadas, prevê trabalhar na presente campanha agrícola 25 hectares de batata doce e 20 de madioca.
O presidente da cooperativa, Paixão Diogo Filipe, reconhceu que as máquinas vão popupar os camponeses do trabalho manual e elevar significativamente os níveis de produção.“No passado era tudo mais difícil para os camponeses, uma vez que os camponeses tinha de trabalhar a terra de forma redumental”, disse.

Tempo

Multimédia