Províncias

Centenas de presos de todo o país estão nas três cadeias de Malange

Luísa Victoriano | Malange

Os Serviços Prisionais de Malange têm, nas três penitenciárias da província, 710 reclusos, oriundos de várias regiões de Angola.

Reclusos no interior do Estabelecimento Prisional de Malange
Fotografia: Eduardo Cunha

Os Serviços Prisionais de Malange têm, nas três penitenciárias da província, 710 reclusos, oriundos de várias regiões de Angola.
Os detidos estão distribuídos pelas penitenciárias da Damba, Cacuso e Malange, de acordo com o director dos Serviços Prisionais, Vicente Miguel.
O alto funcionário do Ministério do Interior frisou, em declarações ao Jornal de Angola, que, deste número, 354 estão a cumprir as suas penas no Estabelecimento Prisional  de Malange e 163 aguardam julgamento. Na Damba estão 164 condenados, enquanto em Cacuso há um condenado e 17 detidos, dos quais seis cidadãos da República Democrática do Congo. A Penitenciária da Comarca de Malange tem capacidade para albergar 600 presos.

Dificuldades

Vicente Miguel disse que os reclusos, além de serem inseridos em diversos trabalhos de reeducação, praticam igualmente actividades agrícolas para melhorar a sua dieta alimentar. Entre os produtos cultivados, destacam-se a batata, mandioca, milho, ginguba, feijão, cebola, cenoura e repolho.
 O director dos serviços prisionais disse que a instituição atravessa  dificuldades, como a falta de água potável, de um posto de saúde e meios agrícolas para o desenvolvimento da actividade.
Os reclusos dos estabelecimentos prisionais da Damba e de Malange  recebem a visita semanal de um médico e em situações graves são encaminhados para o Hospital Geral de Malange. Vicente Miguel garantiu que estão a ser feitos esforços para a instalação de postos médicos nas prisões para melhorar  a assistência aos reclusos.

Tempo

Multimédia