Províncias

Central térmica dá energia aos habitantes de Malange

LUISA VICTORIANO | Malange

A cidade de Malange vai passar a dispor, dentro de oito meses, de uma central térmica com capacidade para produzir 19,6  mega watts de energia eléctrica.

Os cortes verificados em Malange se devem à pouca capacidade de transformação
Fotografia: Jornal de Angola

O presidente do Conselho de Administração da Empresa Nacional de Electricidade (ENE) garantiu, na quinta-feira, que a nova central vai resolver as constantes restrições de energia que se verificam na região. José Carlos Neves deu esta informação no final de um encontro com o governador provincial de Malange, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, que serviu também para apresentar o novo director provincial da ENE e analisar a situação do fornecimento de energia eléctrica à região.
A montagem da nova central térmica, na área da Capopa, realizada no âmbito do Programa de Investimentos Públicos (PIP) de 2014, vai reforçar a capacidade de transformação e elevação do nível de tensão actual de 110 para 220 quilowatts. José Carlos Neves admitiu que os constantes cortes verificados em Malange se devem à pouca capacidade de transformação, instalada nas subestações Capanda e de Capopa, mas garantiu que está a haver todo o empenho para resolver os problemas vividos pela população e aumentar a potência do transformador, para permitir a expansão da rede eléctrica na região.
Quanto à instalação de contadores pré-pagos, disse que essa inovação está a contribuir para o aumento das receitas da empresa, redução do consumo desnecessário e melhor controlo do fornecimento de energia eléctrica.
Na província de Malange, onde a ENE tem actualmente cerca de 20 mil clientes, já foram montados 1.800 contadores pré-pagos. A previsão é instalar, até ao final do ano, mais de dez mil contadores.

Tempo

Multimédia