Províncias

Centro Materno-Infantil está a funcionar

Venâncio Victor | Malange

O novo Centro Materno-Infantil de Malange, construído de raiz e com capacidade para 200 camas de internamento, entrou em funcionamento, após a inauguração, pelo ministro da Saúde, José Vieira Dias Van-Dúnem.

A unidade hospitalar vai contribuir para a redução das taxas de mortalidade materno-infantil na prevenção e promoção da saúde
Fotografia: Genivaldo da Fonseca | Malange

O novo Centro Materno-Infantil de Malange, construído de raiz e com capacidade para 200 camas de internamento, entrou em funcionamento, após a inauguração, pelo ministro da Saúde, José Vieira Dias Van-Dúnem.
A unidade sanitária, cujas obras começaram em 2009 e concluídas no ano passado, custou aos cofres do Estado dois mil milhões de kwanzas. Constituído por dois edifícios, o novo Centro Materno-Infantil de Malange tem maternidade e pediatria, devendo funcionar com 88 técnicos de saúde.
A maternidade tem 120 camas, enquanto a pediatria tem 80. A unidade tem também serviços de ginecologia e obstetrícia, Raios X, neonatologia e mamografia.
Dispõe igualmente de consultórios, laboratórios, bloco operatório, salas de partos, de tratamento e de espera, refeitório, sala de transfusões de sangue, gabinetes, farmácia e sistemas de Internet.
O ministro da Saúde, José Van-Dúnem, disse que a unidade hospitalar vai contribuir para a redução das taxas de mortalidade materno-Infantil e na prevenção e promoção da saúde, lembrado que este passo constitui um compromisso do Executivo, de acordo com os Objectivos do Milénio.
O Centro Materno-Infantil, disse o ministro, deve servir de suporte às restantes unidades sanitárias da periferia da capital da província de Malange.  José Van-Dúnem disse que o surgimento do Centro Materno-Infantil vai ter reflexos na melhoria do atendimento e assistência médica e medicamentosas às mulheres e crianças e na satisfação das necessidades da população local.

 Utilização racional

Em função do número reduzido de quadros sector da Saúde na região, o ministro aconselhou a direcção do centro a fazer uma utilização racional dos recursos humanos disponíveis, permitindo a maximização dos serviços prestados.  O titular da pasta da Saúde defendeu a necessidade dos estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade Lueji a Nkonde passarem a consolidar os conhecimentos adquiridos no Centro Materno-Infantil, através de actividades práticas que visam contribuir para a sua formação integral e posteriormente servir a sociedade. O governador de Malange, Boaventura Cardoso, referiu que a infra-estrutura vai ajudar a colmatar as dificuldades que se faziam sentir quanto à assistência médica especializada em termos dos serviços materno-infantis na província. 
O governador aproveitou a oportunidade para solicitar ao ministro da Saúde o reforço dos quadros, face às necessidades do sector.

Tempo

Multimédia