Províncias

Chuva interrompe tráfego no troço Ndalatando/Malanje

Manuel Fontoura | Ndalatando

A circulação ferroviária no troço Ndalatando/ Malanje está interrompida desde ontem, devido ao desabamento de uma ponte sobre a linha férrea, nas imediações do bairro 11 de Novembro, em Ndalatando, província do Cuanza-Norte.

Estação de Ndalatando regista intensa movimentação de passageiros sempre que o comboio parte para a cidade de Malanje
Fotografia: Francisco Bernardo ! Edições Novembro

De acordo com o porta-voz do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, André da Costa, choveu torrencialmente em toda a extensão da província do Cuanza-Norte, entre às 17 horas de quinta-feira até a 1 hora da madrugada de ontem.

Segundo o porta-voz , além de danificar parte do ramal do troço ferroviário Ndalatando/ Malanje, as chuvas provocaram, no município de Cazengo, o desabamento de 74 residências e inundou 247 outras, deixando sem abrigo cerca de 321 famílias, num total de 1.656 pessoas.
No município de Ambaca, as enxurradas destruíram 156 residências e deixaram 203 famílias sem-abrigo. O governador provincial, Adriano Mendes de Carvalho, reuniu-se de emergência ontem com Comissão Provincial Executiva de Protecção Civil e Bombeiros, para se apurar os prejuízos e encontrar soluções imediatas para acudir as populações sinistradas.
Adriano Mendes de Carvalho disse que as entidades mobilizadas para apoiarem as vítimas da chuva devem trabalhar com empenho e urgência para se buscarem as soluções que se impõem.
O porta-voz dos Bombeiros fez saber que muitas dessas famílias encontram-se refugiadas em casas de familiares, vizinhos e amigos até que a situação volte a normalidade.
Disse que os residentes nos bairros Kilamba-Kiaxi(?), Posse, São Filipe, parte do Sambizanga(?), que vivem nas margens do rio Muembeji, têm de ser desalojados com urgência em face do perigo que se apresenta neste tempo chuvoso.

Tempo

Multimédia