Províncias

Chuvas deixam centenas de famílias ao relento

Venâncio Víctor e Eduardo Cunha | Malaje

Mais de 500 pessoas ficaram sem abrigo na província de Malanje, devido às fortes chuvas que se abateram nos últimos sete dias na região, revelou ontem o porta-voz  do Comando Provincial de Protecção Civil e Bombeiros, Miguel Bernardo António.

Moom mo omomo mom oom mo omomo mom oom omomo mom oom mo omomo mom
Fotografia: Eduardo Cunha | Edições Novembro

O responsável confirmou a destruição de 17 casas na localidade de Kulamuxito, arredores da cidade de Malanje, ao passo que no município de Kambundi-Katembo,   a 185 quilómetros da sede provincial, as enxurradas destruíram 40 casas e uma igreja, tendo desalojado 246 pessoas.
As chuvas destruíram também 15 casas no município de Massango, deixando 90 pessoas sem abrigo, bem como 25 residências no Luquembo. O Serviço de Protecção Civil e Bombeiros registou ainda a destruição de dez residências, incluindo a do administrador comunal do Bembo, no município de Cangandala, tendo deixado ao relento dez famílias, num total de 60 pessoas desabrigadas.
Durante o período em referência, o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros foi chamado também para acudir três ocorrências, sendo um desencarceramento de vítimas, em consequência de um acidente de viação, ocorrido na comuna do Cambaxi, município de Malanje, que resultou na morte de um cidadão, de 32 anos, transportação de um cidadão para o Hospital Regional de Malanje, em consequência do mesmo acidente de viação, e resgate do cadáver de um menor de 7 anos, vítima  de afogamento no rio Kandimba, no bairro Carreira de Tiro.
O porta-voz aconselhou as pessoas a evitarem as construções em zonas de risco, nas valas de drenagem de águas pluviais e por cima de cabos eléctricos, para se evitar a perda de vidas humanas.
A Polícia Nacional em Malanje registou, durante os últimos sete dias,  54 crimes de natureza diversa, dos quais 37 foram esclarecidos, tendo sido detidos 40 cidadãos como presumíveis autores, nos municípios  de Malanje, Calandula, Cacuso, Kiwaba Nzoji e Mucar. Do  número de crimes registados pela corporação, dez foram contra pessoas, 34 contra propriedades e quatro contra a ordem e tranquilidade pública.
No âmbito da sinistralidade rodoviária, registaram-se cinco acidentes de viação, que causaram três mortos, 16 feridos e danos materiais avaliados em 7.500.000 kwanzas. O excesso de velocidade, travessia descuidada de peões, ultrapassagens irregulares e falta de prudência são apontados como as presumíveis causas dos sinistros. Ainda  por diversas infracções ao Código de Estrada, foram aplicadas 105 multas, apreendidos documentos e meios, sendo 57 ciclomotores, 40 motociclos simples, cinco  viaturas, 30 cartas de condução, 21 livretes, 17 títulos de registo de propriedade e um verbete. Das multas aplicadas, 87 foram pagas no BPC, arrecadando-se para os cofres do Estado 122.076.00 kwanzas.
No âmbito do programa de combate à criminalidade, realizaram-se 12 micro-operações no município de Malanje, que permitiram o cumprimento de cinco mandados de captura, tendo sido detidos 39 cidadãos, presumíveis autores dos crimes, em que se destaca uma burla por defraudação de valores monetários, num total de 2.360.000.00 kwanzas, não recuperados, em que os lesados são cidadãos de 36, 45 e 53 anos, todos professores.
A Polícia Nacional refere-se ainda ao furto de 48 tabletes de marca Huawei, quatro  computadores portáteis de marca HP e de um projector de imagem, entre outros meios roubados no bairro Vila Matilde, no interior de uma  escola do ensino primário.
A I edição da Feira Académica e Cultural do Turismo da Escola Superior Politécnica de Malanje (ESPM) realizou-se na semana finda, com vista a impulsionar a concepção de novos projectos voltados para o turismo sustentável e servir de plataforma para conciliar os conhecimentos teóricos à prática.
No evento, em que participaram mais de 200 estudantes do 1º ao 4º ano do curso de Gestão, Hotelaria e Turismo da referida escola, estiveram expostos produtos ligados à gastronomia, moda, artesanato e outras manifestações culturais das províncias de Malanje, Namibe, Cabinda, Huíla, Uíge e Huambo, enquanto elementos fulcrais para o desenvolvimento do turismo sustentável.
Na ocasião, o director interino da escola, Guilherme Pereira Gonçalves, lembrou que a aposta na diversificação da economia exige a necessidade de impulsionar-se outros ramos de actividade, daí a necessidade de se forjar já nos estudantes esta perspectiva para o desenvolvimento efectivo de Angola.

Gestores públicos aprimoram conhecimentos    

Um total de vinte e quatro gestores públicos no município de Caculama, província de Malanje, aprimoraram os seus conhecimentos em matérias ligadas à gestão de recursos humanos, compreensão e motivação do pessoal, numa acção formativa promovida pelo Instituto de Formação de Administração Local (IFAL).
A formação, que durou cinco dias, serviu para actualizar os conhecimentos dos participantes sobre avaliação do desempenho dos chefes de secções e funcionários da administração municipal, bem como dotar os profissionais de valências para um melhor desempenho nas diversas áreas da vida pública e privada do município.
Ao discursar no acto de abertura, o administrador adjunto cessante de Caculama, Agostinho João Neto, afirmou que, no âmbito das tarefas de reconstrução nacional, os responsáveis e técnicos devem aproveitar melhor estas formações e oportunidades, tendo em conta os desafios do milénio.
O Executivo, acrescentou, tem apostado na multiplicação de estabelecimentos de ensino a todos os níveis, para garantir a capacitação dos quadros, bem como a formação técnico-profissional. Agostinho Neto garantiu que a Administração Municipal de Caculama vai apostar na formação contínua dos seus quadros, tendo enaltecido a iniciativa do IFAL na formação dos servidores públicos da circunscrição, que já vai no seu terceiro período.
O formador do Instituto de Formação de Administração Local, João Júnior Cassule, disse que a instituição pretende capacitar os funcionários em várias temáticas, para não agirem à margem da lei.
O chefe de secção municipal do Registo Militar, Maurício Domingos Garcia, disse sentir-se satisfeito com a formação, que, como disse, servirá de orientação nas actividades do pessoal do sector sob sua jurisdição.

Tempo

Multimédia