Províncias

Cidade de Malange está mais iluminada

Francisco Curihingana Malange

A cidade de Malange tem desde a tarde de segunda-feira uma nova rede de iluminação pública nos bairros suburbanos.

Cabine de transformação instalada num dos bairros periféricos de Malange para melhorar o fornecimento de energia eléctrica
Fotografia: Eduardo Cunha

A cidade de Malange tem desde a tarde de segunda-feira uma nova rede de iluminação pública nos bairros suburbanos. A obra foi executada ao abrigo do Programa de Reabilitação e Expansão das Redes de Média e Baixa Tensão e Iluminação Pública de Malange, “zona periférica, lote dois”. Estas acções estão a beneficiar bairros que nunca tiveram iluminação pública.
O projecto começou em Fevereiro do ano passado, envolvendo 170 trabalhadores, dos quais, 85 nacionais. A base essencial da empreitada é a reabilitação e ampliação da subestação de Malange, que foi dotada com mais um transformador de 10 MVA, totalizando agora uma capacidade instalada de 20 MVA, numa tensão de 110.30 quilovolts
De acordo com o director nacional da Energia, Paulo Matos, que falava em representação da ministra Emanuela Vieira Lopes, do projecto constou também a construção de 40.000 metros de linha aérea de média tensão de 30 quilovolts e foram lançados 26.000 metros de rede aérea de baixa tensão. O director nacional da Energia, Paulo Matos, revelou ainda que foram construídos 874 focos luminosos, além da instalação de 19 postos de transformação de 630 KV.
O projecto permitiu a ligação domiciliária de electricidade a sete mil clientes, sendo seis mil com ligação monofásica e os restantes com ligação trifásica.

Benefícios do Projecto

Desde que as obras começaram a ser executadas, muitos moradores dos bairros suburbanos de Malange viram as suas vidas melhoradas.
O projecto, segundo Paulo Matos, vai garantir uma maior fiabilidade na exploração da rede de média tensão e melhorar a qualidade de fornecimento na zona periférica da cidade de Malange.
A instalação dos focos luminosos, particularmente nos bairros suburbanos da cidade de Malange, vai ainda contribuir para a diminuição dos índices de criminalidade.
A Empresa Nacional de Electricidade beneficia igualmente com o projecto, na medida em que vai crescer o número de clientes e as receitas, ficando com fundos próprios para fazer face aos vários desafios que a empresa vive actualmente.
O governador da província de Malange, Boaventura Cardoso, que agradeceu o empenho das entidades envolvidas no projecto, disse que o empreendimento traz muitos benefícios para as comunidades, na medida em que vai garantir maior fiabilidade na exploração da rede e melhorar a qualidade no fornecimento de energia eléctrica. Boaventura Cardoso referiu que estão criadas as condições para as ligações domiciliares que vão ser fiscalizadas pela ENE-Malange.
O governador deixou um apelo aos citadinos para a necessidade da conservação do património, uma vez que se verificam, nos últimos tempos, vários problemas no que diz respeito à manutenção dos bens, por causa de actos de vandalismo, como ligações clandestinas, pilhagens dos equipamentos instalados e o não pagamento do consumo.
Boaventura Cardoso pediu ainda a colaboração da população na denúncia de casos de vandalismo contra o património público.
 
População agradece

Domingas Francisco, moradora do bairro da Camoma e proprietária da casa em que o governador Boaventura Cardoso inaugurou a primeira ligação domiciliar, disse que com a iluminação eléctrica no bairro a sua vida vai conhecer outro rumo.
O bairro da Camoma nunca tinha beneficiado de um projecto semelhante, daí que os seus moradores eram obrigados a viver à base de geradores.
“Nunca tivemos energia no bairro e para conservar os frescos recorríamos ao centro da cidade, suportando elevados gastos”, disse a moradora.

Tempo

Multimédia