Províncias

Clareadas reservas fundiárias no bairro da Carreira de Tiro

Luísa Victoriano | Malange

A província de Malange conta com mais 300 hectares de terra desminada, destinados a reservas fundiárias para a construção de equipamentos sociais.

O espaço foi entregue pelo INAD segunda-feira ao governo provincial
Fotografia: Genivaldo da Fonseca | Malange

A província de Malange conta com mais 300 hectares de terra desminada, destinados a reservas fundiárias para a construção de equipamentos sociais.
O espaço foi entregue na segunda-feira pelo Instituto Nacional de Desminagem (INAD), durante uma visita de campo efectuada pelo governador provincial, Boaventura Cardoso.
O governante enalteceu o contributo do INAD e da brigada das Forças Armada Angolanas (FAA), pelos esforços empreendidos na remoção dos engenhos explosivos colocados durante o conflito armado. Encorajou, ainda, os sapadores no sentido de continuarem a trabalhar na desmatação e limpeza das reservas fundiárias, de modo a permitir a construção dirigida, no âmbito do Programa Nacional do Urbanismo e Habitação.
Boaventura Cardoso adiantou que, para além dos 300 hectares de terras já desminadas, vão ser limpos mais 600 hectares para atingir os 900 previstos. Sem destacar as empresas que estarão envolvidas no processo de construção de casas para a população, adiantou que várias já estão seleccionadas, na sequência do concurso realizado em 2009, para o êxito do processo.
A limpeza das reservas fundiárias na província vai facilitar a construção de mais de seis mil fogos. Na província de Malange, recorde-se, já estão identificadas as localizadas nos bairros da Carreiras de Tiro, Catepa e Cangambo. 

Tempo

Multimédia