Províncias

Crianças do lar das Mercês receberam bens diversos

Luísa Victoriano | Malanje

Um  donativo composto por bens alimentares, calçado, brinquedos e material didáctico foi entregue  na cidade de Malanje, ao Lar das Irmãs da Nossa Senhora das Mercês, localizado no bairro Maxinde, pelo Banco de Comércio e Indústria (BCI).

O coordenador para a região norte daquela instituição bancária, Domingos da Silva, em representação do presidente do Conselho de Administração do BCI, disse que a oferta foi feita no âmbito da parceria que o Conselho de Administração do Banco de Comércio e Indústria tem com aquele orfanato feminino, visando minimizar a carência alimentar e outras necessidades das crianças.
Domingos da Silva acrescentou que a oferta visa igualmente proporcionar uma quadra festiva condigna às crianças que se encontram fora das suas famílias biológicas e contribuir para a melhoria das condições de vida das mesmas. 
Considerou que à criança, na qualidade de ser o futuro do país, se deve prestar o máximo de atenção, amor, carinho e protecção, para que possa crescer num ambiente que lhe proporcione desenvolvimento mental e psíquico, capaz de contribuir para o desenvolvimento do país.  Apelou às demais instituições públicas, privadas e pessoas singulares no sentido de contribuírem com o pouco que têm para minimizar algumas dificuldades que o lar enfrenta. 
A responsável do lar,  Dolores Carmita,  agradeceu a iniciativa do Banco de Comércio e Indústria (BCI)  e garantiu que os bens vão minimizar as dificuldades que o lar enfrenta.
A Irmã Dolores Carmita acrescentou que os bens recebidos vão permitir, por outro lado, proporcionar momentos de alegria às crianças nesta época natalícia e reforçar a dieta alimentar das mesmas nos próximos dias.
Acrescentou que a maior alegria da vida é fazer o bem ao próximo, sobretudo para os desprotegidos.
De recordar que o Lar das Irmãs da Nossa Senhora das Mercês  é uma instituição afecta à Igreja Católica e controla  actualmente 38 crianças do sexo feminino, entre órfãs, abandonadas, acusadas de feitiçaria e de famílias carentes.

Tempo

Multimédia