Províncias

Debatida lei contra violência doméstica

Luísa Victoriano|Malanje

Os participantes no encontro de apresentação da Lei contra a Violência Doméstica, realizada na quinta-feira, em Malange, garantiram que a aprovação do documento vai contribuir para reeducação das famílias.

Os participantes no encontro de apresentação da Lei contra a Violência Doméstica, realizada na quinta-feira, em Malange, garantiram que a aprovação do documento vai contribuir para reeducação das famílias.
Em declarações ao Jornal de Angola, a administradora municipal do Luquembo, Rosa Lourenço, assegurou que a aprovação da Lei vai facilitar o resgate dos valores morais e cívicos de muitas famílias.
A responsável administrativa salientou que, se a Lei for bem aplicada, as famílias poderão viver em harmonia e os elevados casos de violências doméstica registados ultimamente no seio das famílias vão ser erradicados.
“O país precisava de uma lei que permitisse uma reintegração mais condigna das nossas famílias, tendo em vista o desenvolvimento da nação”, sustentou Rosa Lourenço.
A directora do gabinete jurídico da Direcção Nacional do Ministério da Família e Promoção da Mulher (MINFAMU), Idalina Viegas, disse que a aprovação da Lei contra a Violência Doméstica vai regular e dar estabilidade às famílias no país.
A responsável do Ministério recordou que esta Lei representa um instrumento valioso no combate, defesa e protecção das vítimas contra a violência no lar.
Idalina Viegas acrescentou que os casos de violência, praticados tanto pelos homens como pelas mulheres, merecem um combate cerrado para a sua erradicação.
“Temos estado a observar que, desde a aprovação da lei contra a violência doméstica, os casos que se registavam em alguns lares diminuiram bastante, comparativamente  aos meses anteriore”, disse.

Tempo

Multimédia