Províncias

Defesa e valorização dos sítios históricos

Venâncio Victor | Malanje

O administrador municipal de Cacuso, Tomás Rodrigues, defendeu uma maior valorização e preservação dos monumentos e sítios históricos da região.

Em declarações ao Jornal de Angola, a propósito do  Dia Nacional dos Monumentos e Sítios, o administrador municipal disse que a data  serviu  de reflexão em torno das memórias de várias figuras históricas.
Tomás Rodrigues defendeu a necessidade da elevação de alguns lugares históricos do  município, como as Pedras Negras de Pungo Andongo,  à categoria de monumentos. Destacou igualmente os túmulos de Capanda.
A Administração Municipal já encaminhou à  Direcção Provincial da Cultura um documento para que os lugares históricos locais sejam classificados em monumentos.  Tomás Rodrigues assegurou que não se registam actos de vandalismo nos lugares históricos no mu nicípio de Cacuso, por ser um espaço de adoração.
O administrador municipal apelou a todos para que apostem na preservação dos monumentos históricos locais. A província de Malanje tem 65 monumentos históricos por classificar. Entre os monumentos classificados destacam-se o edifício da antiga administração colonial, Administração Municipal de Malanje, a Igreja Evangélica do Quéssua.
São igualmente monumentos históricos as ruínas de  Cacungo, Ngola Mbandi e Nzinga Mbandi, que aguardam a sua classificação. O morro de Cabatuquila, bem os túmulos de Teka dia Kinda, no município do Quela constam da lista dos sítios históricos da província. 
O director da Missão do Quéssua, Diamantino Cristóvão,  disse que o templo da Igreja ­Evangélica local foi  fundado em  1912, pelo missionário Roberto Shilers e construído em 1951. A igreja foi elevada à categoria de património histórico cultural,  a 18 de Abril de 1995.
Com uma superfície de 3.871 hectares,  a vila do Quéssua  viu as suas infra-estruturas  religiosas, hospitalares e académicas destruídas pela UNITA durante a guerra. Com o advento da paz, Quéssua começou a ser recuperado com o apoio da Igreja da Flórida (EUA), e o apoio pessoal do Presidente da República, José Eduardo dos Santos. 
O estudante do segundo ano do curso de Ciências Humanas disse que o Colégio do Quéssua defende a preservação dos monumentos históricos, por representar a cultura dos nossos antepassados. O munícipe Roger Pedro disse que os monumentos históricos constituem uma fonte de conhecimento e testemunho do passado.

Tempo

Multimédia