Províncias

Dementes em Malange são recolhidos das ruas

Filipe Eduardo

A Fundação Kitoko pretende recolher, a partir do próximo mês, mais de 350 pessoas com doenças mentais na cidade de Malange, assegurou ontem, ao Jornal de Angola, o patrono da instituição.

Um ângulo de Malange onde pessoas com doenças mentais são retiradas das ruas
Fotografia: Jornal de Angola

A Fundação Kitoko pretende recolher, a partir do próximo mês, mais de 350 pessoas com doenças mentais na cidade de Malange, assegurou ontem, ao Jornal de Angola, o patrono da instituição.
Kitoko Maiavângua considerou imperioso o apoio às pessoas com doenças mentais que deambulam pelas ruas de Malange.
O patrono da fundação salientou que já existem contactos junto do Governo Provincial e da Direcção Provincial de Saúde, para reunir todas as condições de acolhimento dos doentes.
O principal problema, acrescentou, é encontrar um espaço para acolher os doentes mentais.  O patrono da fundação salientou que a instituição em tempos recolheu cinco pacientes das ruas de Malange que depois de tratados, estão recuperados.
Avô Kitoko aponta o uso excessivo de bebidas alcoólicas e de drogas, principalmente a liamba, como factores que contribuem para o aumento dos casos de demência.
O terapeuta lamentou o facto das investigações na área da saúde mental serem ainda poucas, assim como medidas para inverter o actual quadro.
Kitoko Maiavangua disse igualmente que é fundamental que os gabinetes de aconselhamento não se limitem a acções nos grandes centros urbanos, mas também nas zonas rurais, uma vez que produtos como a liamba, são de fácil acesso e de uso normal.

Tempo

Multimédia