Províncias

Director da Indústria pede à Inspecção maior atenção aos crimes económicos

Manuel de Sousa | Namibe

Os órgãos de inspecção e fiscalização das actividades económicas devem prestar maior atenção aos crimes de fuga ao fisco, especulação, assambarcamento  e branqueamento de capitais na província do Namibe, defendeu ontem o director provincial da Indústria.

Os órgãos de inspecção e fiscalização das actividades económicas devem prestar maior atenção aos crimes de fuga ao fisco, especulação, assambarcamento  e branqueamento de capitais na província do Namibe, defendeu ontem o director provincial da Indústria.
Alcides Cabral, que falava na abertura do seminário “O papel da polícia económica no âmbito da prevenção e repreensão a criminalidade e saúde pública”, promovido pela Direcção Provincial da Polícia Económica, pediu, também, atenção especial à venda de produtos pirateados, fora do prazo de validade ou impróprios para o consumo, à falta de higiene nos locais de comércio e de outras actividades económicas, à não rotulagem nas mercadorias importadas e à violação do direito de propriedade intelectual e industrial do autor.   “Os direitos do consumidor são sagrados e devem ser preservados a todo custo, como forma de dignificar e respeitar o salário de todos quantos dão o melhor de si em prol do desenvolvimento económico e social do país”, disse Alcides Cabral. O director provincial da Polícia económica, Baptista Pedro, explicou que a realização do seminário se deveu a reclamações que têm surgido sobre o papel dos órgãos de fiscalização da província.
Os temas seleccionados e discutidos no seminário foram considerados por Baptista Pedro bastante sugestivos, pois, frisou, permitiram aclarar determinadas situações que pareciam dúbias à alguns agentes da inspecção e fiscalização das actividades económicas.  O inspector chefe do Gabinete de Inspecção  da Direcção  do Comércio , António Tavares, declarou que o ganho era enorme se todos os comerciantes participassem no combate a este tipo de crimes.

Tempo

Multimédia