Províncias

Empresa aposta na formação de quadros

Venâncio Victor | Malange

A Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos no Huambo e a companhia de Bioenergia de Angola (Biocom) rubricaram, esta semana, no município de Caculama, província de Malange, um acordo para a formação de quadros nacionais. 

O projecto de formação de quadros é uma iniciativa da Biocom e visa capacitar a população da região de modo a promover o crescimento sustentável da província de Malange
Fotografia: Jornal de Angola

O memorando foi assinado pelo decano daquela instituição do ensino superior, Guilherme Gonçalves Pereira, e pelo director-geral da indústria BIOCOM, Carlos Henriques.
O protocolo de cooperação foi assinado no encerramento do curso sobre mecânica e electricidade, integrado por 40 estudantes do Instituto Médio Agrário de Malange (IMAM) e da escola secundária da EFFEIL.
O director-geral da Biocom, Carlos Henrique, realçou a importância da formação superior dos quadros afectos ao projecto.
O decano da Faculdade de Ciências Agrárias do Huambo disse ser um orgulho ver os engenheiros agrónomos formados naquele estabelecimento do ensino superior e a estarem vinculados ao projecto da Biocom, contribuindo para o desenvolvimento do país.
O projecto de formação de quadros é uma iniciativa da Biocom e visa capacitar à população da região, de modo a promover o crescimento sustentável da província. O director-geral da Biocom, Carlos Henriques, disse que a instituição vai investir cerca de 12 milhões de dólares em acções de formação de quadros angolanos, no quadro do “Projecto Formar”.
Nesta fase da implantação, a empresa Biocom gerou 2.000 postos de trabalho directo, número que, segundo o responsável, poderá sofrer um acréscimo no próximo ano, logo após a entrada em funcionamento da fábrica.
Neste momento, estão a ser montados os equipamentos necessários, com destaque para a fábrica que, até 2016, vai produzir cerca de 250.000 toneladas de açúcar e 30.000 metros cúbicos de álcool.
A fase de implantação projecto fica concluída no quarto trimestre deste ano, devendo a indústria operar no início de 2014. A produção de açúcar deve atingir, até 2016, oito por cento, em relação a outros produtos. A cana-de-açúcar é a principal matéria-prima da fábrica que tem já plantados quatro mil hectares, prevendo aumentar a cifra para 35 mil. A empresa  Bicom conta com um campo de experimentação de diversas variedades de cana-de-açúcar.

Tempo

Multimédia