Províncias

Entidades tradicionais realçam ganhos da paz

Francisco Curihingana | Malanje

                   
As entidades tradicionais da comuna do Cota - Kalandula, 56 quilómetros a sudoeste da sede provincial, enalteceram os esforços do governo angolano na resolução dos principais problemas da população.

Regedora Ngola Bande e a cidadã Helena Zage estão satisfeitas com os feitos do Governo
Fotografia: Genivaldo Fonseca

As entidades tradicionais da comuna do Cota - Kalandula, 56 quilómetros a sudoeste da sede provincial, enalteceram os esforços do governo angolano na resolução dos principais problemas da população. A recuperação de pontes, que tem permitido a livre circulação de pessoas e bens por todo o território nacional, particularmente na província de Malange, bem como a reabilitação de postos de saúde e escolas, são apontadas pela regedora Ngola Bande como uma acção de realce e que deve ser reconhecida por todas as forças vivas da Nação.
Disse que no tempo colonial não havia escolas nas aldeias circunvizinhas da sede comunal, o que obrigava a deslocação dos estudantes para outras localidades da comuna. “Hoje, os nossos filhos já não precisam de se deslocar, estudam todos aqui, isso é muito bom”, realçou.
Helena Zage, uma outra interlocutora que falou à reportagem do Jornal de Angola, disse que se não fosse a guerra, o país teria registado muitos progressos, mas, ainda assim, “são visíveis os esforços empreendidos pelo governo na solução dos problemas da população”, disse.
“Em oito anos de paz, as acções do Executivo estão à vista, a ponto de nos fazer já esquecer os duros momentos que vivemos recentemente”, disse Helena Zage, que apontou ainda os progressos que se registam neste momento nas tarefas produtivas, apesar de muita produção se encontrar ainda armazenada, aguardando pelo seu escoamento.
Acrescentou que o país, e em particular a comuna do Cota, está a apresentar uma imagem diferente, com a recuperação das infra estruturas destruídas durante o conflito armado. “O Estado está a construir escolas e postos médicos próximo das comunidades, isto é muito importante, demonstra o interesse do Executivo na resolução dos problemas da população”, referiu.

Tempo

Multimédia