Províncias

Escola Técnica de Saúde ampliada e modernizada

Francisco Curihingana | Malange

As infra-estruturas da Escola Técnica de Saúde de Malange devem ser ampliadas e modernizadas, para ficar com mais salas de aulas apetrechadas com equipamentos modernos.

Depois das obras a escola vai ser equipada com meios de tecnologia moderna
Fotografia: Eduardo Cunha|Malange

As infra-estruturas da Escola Técnica de Saúde de Malange devem ser ampliadas e modernizadas, para ficar com mais salas de aulas apetrechadas com equipamentos modernos.
De acordo com a subdirectora administrativa, Teresa Borges, a Escola Técnica de Saúde vive com alguns problemas, como falta de bibliografia específica, para apoiar os cursos ministrados na instituição.
De acordo com a subdirectora administrativa, a instituição tem falta de professores efectivos. Num universo de 50 docentes que leccionam naquele estabelecimento de ensino, apenas cinco são efectivos, o que na óptica da responsável, é preocupante. A falta de material didáctico e informático, como computadores para proporcionar aos alunos uma formação completa, é um dos obstáculos da escola.
Teresa Borges sugeriu o alargamento do anfiteatro e a construção de mais salas de aulas para corresponder às solicitações do mercado.
A falta de um meio de transporte para apoiar os alunos, por altura dos estágios e os trabalhos da escola, consta igualmente das dificuldades apontadas por Teresa Borges, que aguarda a solução dos problemas.
 A escola conta no presente ano lectivo com 566 alunos, dos quais 107 na especialidade de análises clínicas, 57 no curso de farmácia, 22 de radiologia.
A  subdirectora administrativa disse que a escola está também a ministrar um curso para parteiras das províncias do Kwanza-Norte, Moxico, Lunda-Sul e Malange.

Tempo

Multimédia